Linguagem

Gestão de Marca Ver mais

Comunicação, Design, Negócios e Branding

Sua marca se comunica ou se conecta?

Foto: Internet
Se houve uma pausa longa para responder a pergunta acima, talvez sua marca esteja fora do compasso. O mundo segue um novo ritmo, bem diferente da época em que muitas empresas bem sucedidas de hoje prosperaram e fizeram fortuna. O que funcionou ontem talvez não funcione amanhã.

Será que repetir a fórmula de sucesso que te trouxe até aqui é a melhor opção ou simplesmente a mais fácil? Afinal, tudo é uma questão de contexto. Explico: não é só o quê você faz mas também quando, onde e porquê você faz.

As pessoas valorizam marcas relevantes, transparentes, descomplicadas e que sirvam de plataforma para que elas alcancem seus próprios objetivos. Marcas que facilitem de alguma forma atividades essencialmente humanas, como ir de um ponto a outro, hospedar-se em outra cidade, gerir as finanças pessoais, chegar ao peso ideal, cuidar da alimentação, encontrar um parceiro(a), educar os filhos, viajar, ler etc, etc, etc…

O quê? Você já tem um bom produto ou serviço? Inovador?! Ok, isso é um ótimo começo, mas para gerar identificação no público não é o suficiente.

“Construir uma marca significa dedicar tempo para descobrir o que move seu público, com o que ele realmente se importa, lá no fundo, no nível mais fundamental. E aí, achar uma maneira de se conectar com esses sentimentos e necessidades, por meio da linguagem e do design.”  - Emily Heyward, especialista em branding

A teoria psicanalítica afirma que nossa mente é 10% consciente e 90% inconsciente. Ou seja, somos seres intuitivos e emocionais. Levando essa lógica em consideração, as pessoas decidem adquirir, ou não, produtos e serviços ouvindo o coração em uma escala muito maior do que elas ouvem a razão.  

Pulo do gato: uma empresa capaz de conectar-se emocionalmente com seu público terá uma forte vantagem competitiva sobre a concorrência. Uma vantagem que vai além do menor preço ou da qualidade “premium”. Se não houver um elo emocional entre uma marca e o seu público ela logo será substituída, assim que o seu consumidor se deparar com uma vantagem maior, ou pior, assim que ele se apaixonar de verdade por outra marca e mergulhar em uma relação de confiança, onde as suas necessidades racionais e emocionais sejam supridas. 

Confiança se conquista quando atingimos as expectativas dos nossos clientes. Do mesmo modo, quando ultrapassamos essas expectativas, conquistamos admiração.

Descobrir quais são as expectativas e anseios dos seus clientes é o grande desafio. E você não terá essa resposta apenas perguntando ou aplicando uma pesquisa. Será preciso investigar a fundo, dedicar tempo, energia e ter muita empatia no processo.

“O consumidor diz o que pensa mas faz o que sente”. - Jaime Troiano, presidente e fundador da Troiano Branding

Para conectar-se com as pessoas, as marcas devem ser como as pessoas.  

Marcas têm defeitos e qualidades. Têm jeito de ser, de se vestir, de falar e de agir. Marcas erram, entram em crise e pedem desculpas quando necessário.

Estratégia de Marca

Definir uma estratégia é o primeiro passo na construção de uma marca forte. Esse processo é chamado de Branding. E apesar de não ser pauta em muitas reuniões de diretoria, essa é uma disciplina bem amadurecida, utilizada como ferramenta de negócio em mercados desenvolvidos onde as empresas cansaram da disputa, nada saudável, pelo menor preço.  

Contudo, é importante que os empresários tenham em mente que a marca da sua empresa ou dos seus produtos é um ativo intangível que, trabalhado da forma correta, pode dobrar ou até triplicar o valor do seu negócio.

Dica: antes de sair por aí comunicando as vantagens do seu produto ou serviço, gastando grande parte do orçamento em espaço de mídia, é crucial entender seu público, testar suas ideias, experimentar diferentes possibilidades e definir uma estratégia que alinhe os interesses da sua empresa aos interesses do seu público. Afinal, comunicar não é mais o suficiente. As marcas, inclusive a sua, precisam conectar-se às pessoas.

Veja mais aqui.

Autoria
  • Email

Jones Siqueira

Jones Siqueira

Jones Siqueira é designer, diretor de arte e ilustrador. Atuou entre São Paulo e Dublin para empresas como SESC-SP, Metrô de São Paulo, ONU, Tourism Ireland, Bord Gáis Energy, entre outras. Atualmente está à frente da Neopop, onde aplica o design como ferramenta de negócios, ajudando empresas a estreitarem a distância entre estratégia e criatividade.