Linguagem

Liderança Jovem Ver mais

Intercâmbio, voluntariado e protagonismo

Como fazer um intercâmbio voluntário no Peru mudou minha visão de mundo

Foto: Flaviano Henrique
 

Me chamo Flaviano Henrique, tenho 21 anos, curso engenharia química na UFPB e hoje vim falar sobre como o intercâmbio Voluntário Global da AIESEC em João Pessoa me transformou.

Antes de falar do programa, não podia deixar de falar sobre a ONG responsável por todo o intercâmbio: Descobri a AIESEC em 2018 por meio de um evento que eles estavam realizando na UFPB, e neste dia, alguns intercambistas relataram suas experiencias, transformações, ações e tudo que acontece nas 6 semanas de intercâmbio. Foi assim que passei o ano inteiro juntando dinheiro, pois realizar essa empreitada virou meta, e no fim de 2018 finalmente fechei meu intercâmbio para Lima, Peru. Os projetos que a AIESEC oferece são atrelados a um dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis da ONU, e acabei por escolher o objetivo 4, educação de qualidade.

Quase um ano depois, no dia 4 de dezembro de 2019, embarquei na maior experiencia da minha vida com 20 anos, indo sozinho para outro país, passar Natal e Ano Novo longe da família, mas, o que me esperava era algo inimaginável. Desde que cheguei no Peru, até meu ultimo dia de intercâmbio, a AIESEC de lá me deu todo o suporte, desde me levar a minha HOST Family, até explicar o caminho do meu primeiro dia de trabalho como voluntariado.

A família que me hospedou era grande, composta por 6 pessoas e eles moravam em um bairro um pouco afastado do centro de Lima, eram humildes, mas mesmo assim estavam dispostos a me receber. No contrato eles teriam que me fornecer voluntariamente 1 alimentação, mas no fim, eles me ofereciam todas, e sem dúvidas isso foi minha primeira transformação. Ver que determinadas pessoas são responsáveis pela transformação do meio onde vivem, porque por mais humilde que a família fosse, eles me receberam e me deram a oportunidade de desenvolver meu projeto e realizar meu sonho de fazer um intercâmbio.

Meu projeto era ajudar crianças de uma comunidade a desenvolverem novas habilidades e aprenderem a descobrir algo em que eram boas. O projeto se chamava RAISE YOUR VOICE e foi onde passei as semanas imerso totalmente junto com outros 29 jovens de países distintos, tirando um pouco do nosso tempo para ajudar aquelas crianças.

Nessa comunidade tem uma horta, uma quadra e alguns brinquedos, então diariamente como éramos 30 jovens, nos dividíamos em grupos para realizar atividades diferentes, desde atividades lúdicas, ensinar algo de português e até mesmo a aprender a cuidar do meio ambiente e fazer com que a horta servisse para o consumo da comunidade. Posso dizer que as vezes pode ser difícil realizar um trabalho voluntario, principalmente quando nos deparamos em uma realidade tão diferente da nossa, que algumas vezes pode nos fazer desistir, por ser tão difícil estar em um lugar que não estamos acostumados. Mas no fim, é tão gratificante que nos acabamos em lágrimas.

Foto: Flaviano Henrique
No último dia de projeto todas as crianças e alguns pais foram se despedir, e saber que na segunda feita não estaríamos mais lá, nos fez chorar. Todavia o aprendizado é um ciclo, e assim como havia 30 jovens realizando um projeto naquelas 6 semanas, sabíamos que na outra semana haveria mais 30 jovens ajudando-os também, e assim por diante aos passar dos anos, e isso nos confortava. Por isso a importância de realizar um trabalho voluntário, para tentar diminuir essas diferenças e tornar o mundo daquelas crianças mais feliz e esperançoso.

Além do mais, a experiência tem outros ganhos, e um deles é sobre fazer amizades. Foram 30 jovens, de países diferentes e uma coisa em comum: Conhecer o Peru! Combinamos várias viagens próximas juntos, que realizamos nos fins de semana. E sabe aquele sonho de conhecer Machu Picchu? Então ele se realizou, mas o melhor ainda foi realizar ao lado de mais 29 jovens! Conhecemos as Ilhas Ballestas, o Oásis de Huacachina, as linhas de Nazca, a cidade de Cusco, Machu Picchu, Laguna Humantay, sem falar do Centro Histórico de Lima.

Por fim, voltamos para casa com o desejo de querer impactar mais. E com a certeza de quem podemos fazer mais. Uma das principais coisas que absorvi foi: “se vamos realizar um trabalho voluntário em outro país, ajudando comunidades que precisam, o que nos impede de fazer isso pela nossa cidade também?” e esse questionamento nos transforma em seres mais empáticos, solidários e humildes com as pessoas ao nosso redor, por isso eu digo a todos os meus amigos, FAÇAM UM INTERCÂMBIO VOLUNTÁRIO!

Se você, assim como eu, tem esse desejo de impactar outro país, conhecer novas pessoas e fazer a diferença, acesse: https://podio.com/webforms/24645355/1812971 que o pessoal da AIESEC entrará em contato!

- Flaviano Henrique, membro de intercâmbio para organizações. 


Autoria
  • Email

AIESEC

AIESEC

A AIESEC é a maior organização gerida por jovens do mundo. Está presente em mais de 120 países e tem como objetivo desenvolver a liderança jovem a partir de experiências de intercâmbio e de time. Em João Pessoa, a AIESEC atualmente possui mais de 60 membros ativos e já realizou mais de mil intercâmbios.