Linguagem
Hulk Paraíba

“Eu gosto de enfrentar desafios e ter obstáculos para ultrapassar, por isso comecei no mundo empresarial”

Jogador fala sobre investimentos na Paraíba, futebol e pretensões de fixar-se no estado

Foto: divulgação
Mundialmente conhecido, o jogador de futebol Hulk Paraíba, nascido em Campina Grande, começou sua trajetória no esporte aos 12 anos de idade, quando teve que se mudar para São Paulo e posteriormente para Portugal para treinar. Atualmente com 33 anos, além de uma carreira renomada no esporte, joga no Clube Shangai SIPG na China e coleciona investimentos na Paraíba, entre eles o Hotel BA’RA que será inaugurado em 2022, em parceria com a Construtora Massai.

Hulk comenta sobre sua carreira como empresário e seus investimentos, futebol e pretensões de morar no estado. Declara seu amor pela Paraíba e mostra-se orgulhoso por poder investir no seu estado de origem. Confira na íntegra:

Constantemente você anuncia novos investimentos na Paraíba e consequentemente surgem muitos boatos, como a possível construção de um parque aquático. Como você escolhe os novos investimentos e existem novos projetos para o nordeste? 

O parque aquático foi apenas um boato, tanto que me pegou de surpresa. Mas eu ficaria feliz se fosse verdade porque agregaria muito para a cidade de João Pessoa. Sobre outros investimentos eu busco sempre diversificar, ainda não iniciei nada em outras cidades além da capital, mas eu estou aberto a outras oportunidades. Mas temos o Bar do Cuscuz que estamos fazendo em Recife, que é um projeto que queremos fortalecer e expandir pelo Brasil inteiro. 

Recentemente você informou que continua na china em 2020, mas falam que os clubes brasileiros estão negociando para lhe contratar ano que vem. Então, você ficará na China mesmo ou vem para o Brasil? 

Bem, eu ainda tenho contrato com o clube chinês, pelo menos até o final de 2020 e talvez 2021. Sobre vir para o futebol brasileiro, é algo que eu tenho muita vontade. Eu quero muito disputar um brasileiro, mas não sei quando ou se isso vai acontecer. Eu fui morar muito cedo, só disputei dois jogos como profissional no Brasil, e tenho muita vontade de jogar os campeonatos daqui. Com relação a negociação com clubes brasileiros, as especulações são muitas e tem alguns clubes que vieram atrás, mas nesse momento eu tenho um contrato com Shangai SIPG e estou muito feliz lá  e creio que irei continuar na China por mais um tempo.

Como você começou esse processo de se tornar investidor e empresário? E relacionado a isso, existe alguma ideia de aposentadoria?

Eu comecei no muito empresarial um pouco cedo, até porque sempre me preocupei com o futuro dos meus familiares e dos meus filhos. Eu comecei a trabalhar com 9 anos na feira, porque eu via a dificuldade dos meus pais e isso me fez ter amor pelo trabalho, eu gosto de trabalhar. E mesmo que de férias, preencho meus dias com reuniões e procuro estar sempre em atividade. 

Sobre aposentadoria, eu nunca me vi parando de jogar e ficando apenas em casa ou viajando, eu gosto de enfrentar desafios e ter obstáculos para ultrapassar então por isso comecei no mundo empresarial cedo e espero que tudo dê certo. Eu também procuro me cuidar muito e com o passar dos anos tenho me cuidado ainda mais. Eu tenho zelado muito por minha parte física, para que consiga jogar o máximo que puder e apenas no dia em que perceber que não posso mais competir em alto nível eu aposentarei a chuteira.

Como você tem se preparado para essa sua nova posição de empresário? Como você buscou a preparação para a administração de tantas empresas nas quais você está investindo?

Quando pensamos em investimentos e planos futuros, precisamos nos cercar de pessoas honestas e que irão nos ajudar. Eu tive pessoas muito competentes que me ajudaram e que continuam me ajudando a estar preparado para isso. Eu costumo dizer que sou um cara muito curioso, por exemplo eu não entendo nada de informática, mas se eu começar a trabalhar com isso, começo a estudar e focar para conseguir entender mais sobre. 

É assim que eu ajo com os investimentos, eu procuro entender e estar por dentro a cada instante. Mesmo quando estou na China, sempre faço vídeo chamada para poder estar por dentro de tudo acompanhando tudo e participando de tudo. Até porque quando você participa de qualquer empresa, ou qualquer outra coisa, você precisa estar por dentro de tudo. 

Dentre seus investimentos em João Pessoa está o Hotel BA’RA, que pretende movimentar o turismo local, existe alguma previsão de inauguração?

A previsão que temos para o lançamento do Hotel BA’RA é para 2022. O hotel está sendo feito em parceria com a Construtora Massai e vai agregar muito para a cidade e para o turismo dela. São 126 quartos confortáveis, além de dois restaurantes com chefes renomados conhecidos nacionalmente. Eu tenho certeza que os turistas que ficarão no hotel irão adorar e também os paraibanos que quiserem experimentar de uma culinária diferente, vão ter a oportunidade de aproveitar e visitar o BA’RA onde serão muito bem recebidos e sairão satisfeitos.

Muitos dos projetos são na Paraíba, qual a sua relação com o seu estado de origem e você pretende voltar a morar aqui?

Eu sou apaixonado pela Paraíba, tanto que em breve começarei a construir minha casa aqui, que é algo que sempre sonhei e ainda não a fiz porque sempre vinha de férias e apenas por pouco tempo. Eu pretendo morar na Paraíba, mas não sei do dia de amanhã o que pode acontecer a nível de futuro. Eu tenho três filhos que estão sendo criados praticamente fora do Brasil, mas sempre que temos a oportunidade, tento trazê-los para o Brasil principalmente para o nordeste. Quero que eles conheçam a cultura deles e estejam sempre perto dos familiares. Mas eu não sei quando virei morar aqui, apenas que é um desejo meu. 

Como foi sua base de futebol no estado e como você enxerga o investimento no esporte daqui? Você pretende investir nele?

Eu vim da zona leste de Campina Grande e nunca achei que chegaria onde cheguei. Eu vejo que tem muita gente lotada de potencial, mas sem oportunidade, porque aqui não tem estrutura e cada dia é mais difícil um menino entre 12 e 14 anos sair para um clube em São Paulo, Rio de Janeiro ou outro estado. Se nós conseguíssemos investir na base para temos uma estrutura bacana e pra preparar os jogadores daqui iriamos revelar muito talentos. Eu tenho muita vontade de ajudar o futebol paraibano, mas pretendo fazer isso quando puder estar perto.


Redação Paraiba Total



Outras Entrevistas