Linguagem
Breno Mesquita

“A tendência é que as viagens sejam retomadas no decorrer dos meses. É preciso entender o novo comportamento e reconquistar a confiança dos turistas”

Presidente da ABAV Paraíba comenta os desafios enfrentados pelo setor na pandemia, destaca iniciativas para amenizar os impactos no Estado e revela as expectativas para os próximos meses

A pandemia do novo coronavírus está impactando a economia mundial como um todo, principalmente no setor de turismo. Junto com as companhias aéreas, a rede hoteleira e agências de viagens foram as primeiras a sentirem os impactos das medidas de isolamento social.

Com a flexibilização das atividades, a expectativa do setor é de que haja aumento na procura por viagens a partir dos próximos meses, especialmente para os destinos nacionais. Neste sentido, a tendência de um turismo interno aquecido deve levar em conta algumas questões importantes. Afinal, a expectativa é de que o comportamento dos viajantes e a maneira da indústria operar não serão mais os mesmos. Portanto, é preciso olhar para frente e planejar a gestão do negócio para quando o mundo voltar ao normal — que provavelmente não será mais o normal que conhecemos hoje.

Em entrevista exclusiva ao Paraíba Total, Breno Mesquita, presidente da ABAV – Associação Brasileira de Agências de Viagens – na Paraíba, comenta a atual situação do turismo no Estado, as iniciativas para amenizar os impactos no setor e a importância do agente de viagem.

Confira na íntegra:

1)  Como está o cenário turístico da Paraíba com o desaquecimento do setor?

Houve um impacto muito significativo no setor de Turismo com a decretação da pandemia e, com certeza, será um dos setores que irá demorar mais a retornar aos níveis pré-pandemia. No mês de julho, os hotéis tiveram ocupação de 19%. Já o setor de eventos, de março a outubro, teve um prejuízo de cerca de 150 milhões e o remanejamento de cerca de 50 eventos.

Em relação as agências, tivemos uma perda de receita de 98% com quadro de colaboradores demitidos ou suspensos de 95%. Atualmente, algumas agências já retornaram fisicamente e outras estão em home office, porém, já existe uma pequena reação na compra de pacotes para final do ano e para 2021.

2)  Na sua opinião, o que mudou no papel do agente de viagem com a pandemia?

Os agentes viagens tiveram papel fundamental e imprescindível na resolução dos problemas causados pelo pânico que a pandemia instalou. Viagens e pacotes cancelados foram devidamente remarcados, reintinerados e reembolsados, proporcionando o menor impacto possível aos clientes. Com toda a situação, ficou definitivamente comprovado a importância do papel do agente de viagem no setor.

3)  Quais os principais pontos de mudanças no comportamento dos viajantes e da própria maneira de operação do setor?

No atual cenário, os viajantes estão buscando destinos mais próximos em um raio de 200 a 300 km em que possam se deslocar em seu próprio carro. Além disso, buscam destinos seguros em relação a biossegurança e que estejam cumprindo todos os protocolos sanitários exigidos. O setor está preparado e seguindo as normas de higienização e segurança de forma rígida, pois entende que pior do que abrir com uma capacidade de 50% de ocupação, é ter que fechar novamente por um possível caso de contaminação em seu hotel, por exemplo. Posso dizer que o termo mais usado pelos viajantes e pela cadeia do turismo é a “segurança sanitária”.

4)  Quais as perspectivas do turismo pós pandemia?

São as melhores possíveis. Temos uma demanda reprimida que aguarda uma maior segurança para que possa retornar a viajar, seja no segmento corporativo ou a lazer. Acredito que com a descoberta de uma vacina, teremos uma demanda crescente em todos os setores da economia.

5)  Quais as iniciativas da ABAV Paraíba para melhorar a situação?

Desde o início da pandemia, a ABAV Paraíba buscou os órgãos competentes, como o Procon, para que os mesmos pudessem entender o papel das agências de viagens e como as empresas do segmento deveriam proceder para solucionar os problemas que iriam surgir e amenizar os danos causados. 

Também contactamos a Caixa Econômica e o Banco do Nordeste com o propósito de buscar crédito para os associados e firmamos uma parceria com o SEBRAE. Nesta parceria, apresentamos o Programa de Biossegurança para os associados e estamos em processo de finalização desta ação, assim como o plano de mídia marketing para TV e redes sociais com o apoio do BNB voltado para o público final.  A nossa missão é conscientizar as pessoas da importância de contar com agentes credenciados ABAV para garantir uma viagem segura, sem imprevistos.



Kamyla Mesquita Redação Paraíba Total



Outras Entrevistas