Linguagem
Marcia Mendes

“Uma casa bonita e arrumada é o sonho de muita gente, e é isso que queremos proporcionar com a Casa Brasileira”

Conheça como será a unidade da Casa Brasileira em João Pessoa; sócia diretora da marca, conta sobre a loja e os projetos desenvolvidos

Foto: Pedro Ivo
Chega à João Pessoa a Casa Brasileira, marca de móveis planejados com projetos que prometem oferecer as melhores modelações e atender diversos públicos com valores justos e excelente custo benefício. Lançada em outubro, a unidade conta com a produtos de alta qualidade e comprometimento com todas as etapas de produção, desde o desenho e escolha dos móveis, até o momento de entrega e montagem, com otimização de tempo e foco no cumprimento de prazos.

O negócio surgiu da união entre o amor por estar em casa e o conforto desejado, e é resultado do investimento de empresários paulistas apaixonados pela capital paraibana. Marcia Mendes, socia diretora da marca, falou sobre a ideia do novo negócio, a escolha de João Pessoa como hospedeira, o atual momento de compra do público brasileiro e as especificidades da marca. A Casa Brasileira fica localizada na Avenida Edson Ramalho, 44, em Manaíra.

Confira a entrevista:

Como surgiu a ideia de lançar a marca Casa Brasileira em João Pessoa?

Eu e o Marco, meu marido e sócio, temos uma casa em João Pessoa há cinco anos e sempre passamos alguns dias na cidade. Ficamos encantados por ela, pelas praias e pessoas, e a partir daí, decidimos investir na capital.

Somos corretores de seguros, administradores por formação e temos negócios em São Paulo. Pensando na possibilidade de um empreendimento na cidade, tivemos o insight de lançar uma marca de móveis planejados, a partir de uma conversa com amigos e inspirados no amor presente em estar em casa.

Mobiliar, desenhar, pensar em cada detalhe do lar é algo que me encanta muito, e a partir daí surgiu a inspiração. Marcamos uma reunião com a Unicasa, nosso fornecedor exclusivo, e eles nos apresentaram uma proposta que nos fez perceber que com as pessoas certas nós iriamos conseguir abrir um negócio em João Pessoa, empregar pessoas daqui e movimentar a economia local.

Viemos aqui, encontramos o local perfeito, reformamos e começamos a buscar funcionários para compor nossa equipe e deixar tudo perfeito.

Como foi a escolha da marca Casa Brasileira para o mercado de João Pessoa?

Nós temos um contrato com a Unicasa de utilização de marca, e eles são nossos fornecedores exclusivos. Quando pensamos no nome Casa Brasileira, pensamos em oferecer algo que não existia ainda na cidade. A marca traduz conforto, aconchego, alegria e acessibilidade financeira, sempre com a missão de realizar sonhos. Sem preconceitos, que busca oferecer o melhor para os clientes e agradá-los, fazer o que eles querem e precisam, sem impor nossas vontades e opiniões. Uma casa bonita e arrumada é o sonho de muita gente e é isso que queremos proporcionar.

Como foi o casamento da marca Casa Brasileira e o público de João Pessoa?

O elo com a marca surgiu começando pelo nome. Como viajantes, eu e o Marco, visitamos vários lugares, mas somos verdadeiramente apaixonados por voltar para casa. Quando escutamos ‘Casa Brasileira’, e vemos as cores, descobrimos que cabe na casa de qualquer pessoa, pertence ao Brasil, como todo. Quando olho para as possibilidades da marca, conseguimos atingir diversos públicos.

Com a pandemia, as pessoas passaram mais tempo dentro de casa, e a partir daí, novas necessidades surgiram e elas começaram a ver coisas que faltavam.  A marca é resultado, principalmente, de uma identificação nossa com o propósito dela. Nós viemos de uma família muito humilde e trabalhamos muito para conquistar o que temos hoje.

Quando eu olho para a nossa empresa, noto que conseguimos aproveitar ainda melhor cada espaço de imóveis que muitas vezes são pequenos, com preço justo e excelente custo benefício, oferecendo mesmo serviço e atendimento para todos os públicos. Sentimos o desejo de trazer isso para João Pessoa, porque sentimos falta disso por aqui.

Como você vê o atual momento de compra do brasileiro pós quarentena?

A percepção que já tivemos com a loja ainda fechada, mas com alguns atendimentos já realizados e projetos em andamento, é que os clientes guardaram algum dinheiro durante esse período em casa. Eles nos procuram já com um orçamento pré-determinado e trabalhamos a partir dele.

Nós percebemos que os que estão comprando neste momento são realmente aqueles que ficaram em casa e notaram necessidades que tinham, porque começaram a vê-las de outra maneira, a sentir falta de muitas coisas e agora estão investindo para tornar o lar mais confortável, elegante e bonito.

Como vocês pretendem encantar o arquiteto?

Com as possibilidades de modelação, a qualidade que oferecemos, mostrando para ele que está diante de mercadorias de qualidade, que não deixam a desejar de forma alguma. Queremos que o arquiteto entenda que somos empreendedores e investidores dispostos a ser parceiros, e que valerá a pena trazer seus projetos para a nossa loja.


Assessoria



Outras Entrevistas