Linguagem
Caso de sucesso

Jovem empresária aposta em fabricação de bijuterias e cria marca de sucesso

Foto: Divulgação
Linda, loira e estilosa, Natália Gadelha é uma apaixonada por moda. Formada em comunicação e em marketing de moda, a empresária sempre fabricou suas próprias bijuterias. Em ocasiões especiais, ou mesmo para o dia a dia, era difícil encontrar nas lojas algo que agradasse o moderno estilo da moça. Da sua própria necessidade foi que surgiu, aos poucos, a ideia de montar a Miss Nat, uma empresa que fabrica acessórios femininos personalizados e exclusivos, de acordo com o gosto de cada cliente.

A produção para fora começou em 2011 na informalidade, dentro do seu próprio quarto e atendendo amigas, colegas de trabalho e familiares. Natália trabalhava, na época, em uma empresa privada e após cumprir expediente de horário comercial varava as madrugadas para dar conta dos pedidos que só faziam crescer. A situação tornou-se insustentável, e foi no inicio de 2012 que resolveu assumir de vez a fabricação de acessórios como modelo de negócio e projeto de vida.

A decisão não foi imediata. Insegurança, dúvidas e a velha história de ‘trocar o certo pelo duvidoso’ fizeram a empresária perder algumas horas de sono. No entanto, estava mais que claro: a fabricação de acessórios femininos tinha tomado uma dimensão muito maior do que ela imaginava e estava na hora de crescer.

A Miss Nat iniciou sua atividade no meio digital. Uma página de e-commerce foi criada, com ferramentas que ofertavam facilidade de pagamento, com o uso de cartões de crédito e pagamento em boleto, e envio para todo o país. O potencial das mídias sociais também foi parte essencial para fazer a empresa tornar-se queridinha das mulheres. A Miss Nat possui um blog onde são divulgados conteúdos sobre moda, tendências e comportamento, promovendo a marca através do marketing de conteúdo.

As redes, como o Facebook e Twitter, potencializam as vendas. Para atuar nesses espaços a empresa investe em produção de fotos que mostram em looks o uso e sugestão de montagem das peças. As imagens sempre são bem trabalhadas e editadas, mas a empresária é quem faz o trabalho de modelo, fotógrafa, produtora e editora. Para isso investiu em capacitação e na compra de um bom equipamento. Os espaços também sugerem engajamento das clientes que após a compra costumam publicar fotos utilizando as peças.

Para ter uma fabricação ainda mais exclusiva, Natália faz a compra de pedras, embalagens e expositores em São Paulo, Belo Horizonte e Buenos Aires. As coleções são planejadas sempre com antecedência de uma estação e as clientes escolhem os modelos das peças em catálogos digitais e decidem por cor, estilo, pedrarias, entre outras opções. As peças são comercializadas também zm lojas da capital, Campina Grande, Cajazeiras, Patos, Esperança, Mossoró e Pipa. O investimento inicial foi de até R$ 50 mil e em um ano o negócio teve crescimento de 300%. A empresária é formalizada através do Empreendedor Individual.

A Miss Nat já conta com um escritório físico, em um bairro nobre da capital, onde as clientes podem ir até o local e encomendar peças, além de encontrar produtos já prontos. A marca vai investir na produção de assessórios para o público infantil e na capacitação de mão-de-obra visando o aumento da produção. Em longo prazo a Miss Nat pretende instalar outros pontos de venda pelo Nordeste e dentro do país, além de abrir uma loja própria, preparando o negócio para se tornar franquia.


Agência Sebrae de Notícias
Érica Chianca