Linguagem
Acordeons

Única fábrica de sanfonas do Brasil, de Campina Grande, completa 10 anos

Leticce foi criada por um empreendedor que trocou o palco pela marcenaria

Foto: Internet
A Leticce, única fábrica de sanfonas ou acordeons profissionais do Brasil completa dez anos. Localizada em Campina Grande (PB), a empresa possui atualmente 20 funcionários. À frente dela, um empreendedor que saiu dos palcos para a marcenaria: o sanfoneiro Amazan. O poeta sertanejo, que mora na cidade há décadas, foi pioneiro no país ao montar a fábrica de acordeons Leticce.

Desde que surgiu em 2003, o empreendimento vem passando por transformações. A maior delas, segundo a administradora Marileide Azevedo, filha do proprietário, foi proporcionada pela parceria com o Sebrae na Paraíba. “Mudou tudo. Desde a fachada até a forma como organizamos nosso material de trabalho”, diz. A empresária participou do Empretec no ano passado, seminário do Sebrae que estimula as características empreendedoras dos participantes.

“Com a capacitação, senti necessidade de aplicar o que tinha aprendido e pedimos uma consultoria ao Sebrae. Com sete meses de orientação, modificamos toda a empresa”, afirma Marileide. A padronização das peças, que são mais de dez mil em uma única sanfona, foi uma das melhorias. A fábrica também investiu no atendimento ao cliente.

Como tantas outras empresas, a Leticce surgiu de um talento do proprietário, o sanfoneiro Amazan. Ele consertava o instrumento complexo e passou também a ajudar os amigos. Um deles reconheceu a habilidade técnica de Amazan e sugeriu que montasse a fábrica. Há exatos dez anos, Amazan contratou o primeiro marceneiro, profissional responsável pela caixa do instrumento e pelas dez mil peças de dentro e fora do acordeom. As dificuldades vieram, entre elas encontrar materiais específicos, como pele de cordeiro novo, papelão italiano e metais. O empresário percebeu que tinha de produzir a maior parte das peças antes de fabricar o instrumento.

Amazan foi à Itália em 2003, comprou matéria-prima, procurou fornecedores e começou a aprender o processo de montagem. Com um ano de fábrica, o empreendimento ganhou um prédio equipado. Começou, assim, o treino de pessoas para a fabricação dos acordeons. Segundo o proprietário, a empresa tem características específicas: quem faz sanfona tem que ser sensível, gostar de música, ter paciência e saber observar.

Em 2005, quando a primeira sanfona foi totalmente montada, de forma correta e eficiente, a equipe se emocionou. Apesar disso, o instrumento ainda estava longe do que Amazan desejava. Ele voltou à Itália para aprimorar os conhecimentos com mestres que passaram dicas importantes. Desde então, a fábrica só vem aumentando o número de artesãos.

Qualidade de som e acabamento

Os produtos estão melhorando a cada ano. A qualidade de som e acabamento dos instrumentos de Campina Grande garante a satisfação dos artistas. Assim disseram seus consumidores, músicos como Flávio José, Genaro e Marcos Farias. Dominguinhos aprovou o teclado, disse que era “um dos mais leves” que ele tinha encontrado.

A fábrica Leticce também tem realizado parcerias de apoio à cultura. O sanfoneiro Mahatma Costa, de Olinda (PE), participará de quatro festivais internacionais com os acordeons da marca. “É a primeira vez que uma sanfona brasileira participa de um festival desse porte”, comenta, orgulhosa, a empresária Marileide.



Agência Sebrae de Notícias