Linguagem
Dicas e orientações

Saiba de 5 dicas para evitar riscos na hora de empreender

Uma delas é ter foco nos negócios

Foto: internet
Há uma ideia amplamente difundida de que grandes empreendedores não se importam em correr riscos. Mais: de que para conquistar o sucesso é preciso gostar do risco. De acordo com o empreendedor digital e idealizador dos sites Empreendedor Digital e Férias Sem Fim, Bruno Picinini, isso não é lá bem verdade. 

A questão, segundo Picinini, é que os empreendedores aprendem a controlar a ansiedade, e tudo que o risco representa na vida, de forma a não atrapalhar o próprio negócio. “Risco é o que os empreendedores que eu conheço e estudo menos gostam. Fazemos de tudo para evita-lo. Se houvesse como criar um negócio sem risco, pode ter certeza que escolheríamos essa opção”, afirma. Ainda não foi inventada uma fórmula para acabar com os riscos, mas é possível mitiga-los ao máximo. Nas próximas linhas, Picinini fornecerá algumas dicas para aqueles que desejam abrir um negócio online sem muitos percalços.

1. A primeira delas é ter foco. De acordo com Picinini, se a pessoa ficar “atirando para todos os lados” nunca vai ter certeza o que realmente funciona. Como exemplo, ele cita o dilema dos futuros empreendedores para escolherem as ferramentas, táticas e mídias para a divulgação de seus negócios. Segundo o empreendedor digital, todas estas ferramentas podem funcionar e por isso mesmo não se pode perder muito tempo com elas. “O segredo é escolher uma e focar todas as energias nela”, destaca. Contudo, isso não vai adiantar de nada se o empreendedor não estiver ciente dos quatro fundamentos que compõem um negócio online de sucesso, que são: Mercado, Marketing, Mídia e Mercadoria. “Não adianta você ter os melhores meios de comunicação se sua mensagem ou o mercado no qual você está trabalhando não forem bons”.

2. A segunda dica é tratar seus clientes como ouro. “Eu canso de ver negócios que têm um ótimo marketing, vendem o seu produto e simplesmente somem no pós-venda, achando que o trabalho já está concluído”, conta Picinini. O empreendedor destaca que uma das melhores e mais confiáveis fontes de venda é ter clientes indicando outros clientes. Isto porque, explica ele, o que acaba sustentando o negócio não é a primeira venda, mas sim as subsequentes que você pode fazer para este mesmo cliente que você agradou ou para outros clientes aos quais ele indicou o seu negócio.

3. A terceira dica é cortar gastos supérfluos. Segundo Picinini, quando a situação começa a melhorar e a empresa cresce, a tendência dos empreendedores é começar a gastar dinheiro comprando coisas de não muita utilidade. Em negócios online, isto pode ser ilustrado por aquela nova ferramenta social ou um novo plug-in que está sendo ofertado por um preço baixo. Picinini explica que estes gastos acabam se somando e fazem com que o empreendimento tenha um custo fixo enorme. Isto é muito ruim para empreendedor, pois, em caso de baixa nos negócios, ele não terá como evitar estas despesas. “Tente diminuir seu custo fixo ao máximo, tente deixar o máximo possível em custos variáveis, pois assim conseguirá estancar suas perdas”, diz.

4. A quarta dica é investir tanto o tempo como dinheiro em marketing. Segundo Picinini, trata-se da melhor alavanca de um negócio, seja ele físico ou virtual. Contudo, quando se tem um produto físico o marketing se torna mais importante ainda, já que a possibilidade de aumentar o lucro diminuindo o custo de produção é reduzida. Nesse caso, ao utilizar as técnicas corretas de marketing, o empreendedor pode agregar valor ao produto, posicionando-o de uma maneira melhor junto aos concorrentes, conseguindo assim aumentar sua margem de lucro. Em um produto virtual, explica Picinini, o efeito do marketing não é tão aparente porque este já tem custo de “produção” praticamente zero. “Ainda assim, o marketing deve ser a prioridade, pois é ele que vai ditar quanto seu negócio irá lucrar. Seja com um produto físico ou digital”, completa o empreendedor.

5. A última dica é talvez a mais simples, mas uma das mais importantes. O empreendedor deve investir em si mesmo. “É você que vai lidar com os problemas, criar o negócio da melhor maneira, fazer o melhor marketing, simplesmente fazer as coisas rodarem da melhor maneira. Se tem algo que vale a pena investir, com certeza é em você”, afirma. E este investimento não deve ser apenas no conhecimento, mas também na saúde e nos relacionamentos. Picinini explica que o empreendedor deve considerar o tripé: finanças, relacionamentos e saúde. “Todos têm peso igual, erre em um e o resto sofrerá junto”, finaliza.



Newtrade