Linguagem
Dicas e Orientações

Como esquecer do trabalho quando você não está nele

Maioria dos profissionais tem consciência de que “desligar” do trabalho traz benefícios

Foto: Internet
Quando foi a última vez que você conseguiu “fugir” do trabalho? Não se trata de desaparecer da sua mesa no meio da tarde ou enganar a chefia dizendo que estava resolvendo “pendências” fora do escritório, quando de fato estava indo ao médico. O conceito aqui é outro: não pensar no trabalho, não se preocupar com o que está acontecendo e não ter aquela sensação de que “deveria ter resolvido isso”, enquanto se preparar para ir ao cinema ou durante o jantar.

A maioria dos profissionais tem consciência de que “desligar” do trabalho traz benefícios importantes, como uma perspectiva nova e “descansada”, abrindo espaço para encontrar soluções mais criativas, eficientes e produtivas.

É claro que falar, em geral, é mais fácil do que fazer. Levar trabalho para casa ou responder e-mails e recados de WhatsApp são comuns. Pior: perto do prazo final, há quem sonhe (ou melhor, tenha pesadelos) com trabalho.

Para garantir que o seu cérebro fique mesmo longe do escritório, eis algumas dicas compiladas por Art Markman, PHD em psicologia pela Universidade do Texas, em artigo para a Harvard Business Review:

Concentre-se no que você vai fazer (fora do trabalho)

Muitas pessoas sentem dificuldade em mudar seu comportamento porque colocam seu foco no que NÃO estão fazendo, em lugar do que deveriam fazer agora. Para tanto, é preciso condicionar seu cérebro a “parar” toda vez que sentir que está começando a pensar nas tarefas inacabadas. O foco deve estar no que estiver fazendo no momento. Em outras palavras, esteja presente.

Se a dificuldade está em fazer isso, então planeje o que fazer nessa horas livres. Crie um cronograma de ações (o que fazer, com quem, quando etc) para preencher seu tempo no final de semana. Com isso, você vai criar um hábito e seu sistema entenderá mais facilmente que essa atividade não tem nada a ver com trabalho. Seja organizar um piquenique ou aceitar um trabalho voluntário, seu cérebro vai se adaptar ao novo modelo, sem se perder em confabulações — e você poderá aproveitar a situação para desenvolver um projeto pessoal.

O que fazer quando se pegar pensando em trabalho

Uma maneira de lidar com os tais “pensamentos intrusivos” é ter um plano pronto para ocupar sua mente, como ler um livro, montar um quebra-cabeças ou ligar para um amigo. Agora, se há algum projeto para o qual você realmente precisa encontrar uma solução e a cada cinco minutos você se pega pensando no assunto, então o melhor é deixar um caderno por perto. Por que papel quando se pode usar o celular? Porque assim você evita o risco de ficar conferindo a cada momento o que os colegas estão fazendo (se estão trabalhando trabalhando, se alguém tem dúvidas). O ideal é estipular uma janela de tempo, como dez ou 15 minutos, para escrever tudo o que está na sua cabeça. E se sentir necessidade de desabafar, essa também é sua chance.

Mude o ambiente ao redor para apoiar seu novo hábito

Da mesma forma que um fumante não sente qualquer incentivo em largar o fumo sabendo que há um maço de cigarros no armário, uma pessoa que quer estabelecer uma relação mais saudável entre trabalho e vida pessoal não deve deixar o computador e o celular ligados o tempo inteiro.

Sim, estamos falando em DESLIGAR o celular. De acordo com a ciência comportamental, uma das maneiras de evitar o trabalho longe do escritório é tornar seu acesso mais difícil. Se toda vez que tiver que checar uma coisa, você tiver de ligar o celular, vai pensar duas vezes antes de fazê-lo.

Crie um espaço em sua casa que tenha características relaxantes, no qual não vai pensar no trabalho. Esse local ficará “marcado” por atividades como yoga, ler um livro ou meditar. Quanto mais associar o lugar a “não trabalhar”, mais facilidade sentirá em não pensar no trabalho.

Ficar longe do trabalho não é o fim do mundo

Para os mais ansiosos, a perspectiva de se afastar dos problemas do trabalho parece além de suas forças. A sensação de que ao desligar o celular, algo ruim pode acontecer, um e-mail importante pode ser visto tarde demais podem elevar os níveis de ansiedade. Nesse caso, as terapias comportamentais podem ajudar: ao se expor a uma situação assustadora, a pessoa aprende gradativamente a lidar com a situação.

Para começar, estabeleça um período de tempo em que não vai ler seus e-mails no seu tempo livre. Das sete ou oito horas de sono, vá acrescentando uma hora diária nos dias de folga a cada semana. Ou seja, se antes lia os e-mails assim que acordava, passe a fazer isso após tomar o café da manhã. Na semana seguinte, duas horas após acordar e assim por diante até passar um domingo inteiro sem olhar para as mensagens. Com isso, a probabilidade de que você retornará na segunda-feira com mais energia, disposição e ideias claras só tende a aumentar.



New Trade