Linguagem
Fepac

João Pessoa será a capital da voz com apresentação de 52 corais

Será representada com corais de João Pessoa, Picuí, Nova Floresta, Boa Vista e Sapé

Foto: divulgação
A cidade de João Pessoa vai se transformar na capital da voz a partir da desta terça-feira (14) com apresentações de 52 grupos representando os estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Sergipe, além de um representante de Córdoba (Argentina). Já a Paraíba será representada com corais das cidades de João Pessoa, Picuí, Nova Floresta, Boa Vista e Sapé.

Em sua décima quinta edição, o ‘Festival Paraibano de Coros’ (Fepac) vai ocorrer de 14 a 18 de novembro, sempre a partir das 18h, na Sala de Concertos Radegundis Feitosa, no Centro de Comunicação Turismo e Artes (CCTA), da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). O evento promete reunir cerca de duas mil vozes durante as cinco noites de realização e, para comemorar os seus 15 anos de atividades, o Fepac vai ajudar o ‘Projeto Natal Sem Fome’. Todos poderão participar dessa campanha levando para o teatro um quilo de alimento não perecível. Esse é o “ingresso” para o evento.

Um coral com aproximadamente 500 vozes vai abrir a décima quinta edição do ‘Festival Paraibano de Coros’. “Há 15 anos o festival vem difundindo o canto coral no estado, tanto na formação de novos grupos na capital e no interior da Paraíba, quanto no reconhecimento de nível nacional e agora internacional com a vinda de um grupo argentino”, disse o coordenador-geral do Fepac maestro Eduardo Nóbrega, que em março deste ano mostrou um pouco do seu trabalho, com o canto coral, na Universidade de Yale (USA), levando na bagagem composição de Chiquinha Gonzaga, o que deixou os americanos fascinados com seu método irreverente de trabalhar.

O coordenador explicou que cada noite, antes do primeiro coral, a partir das 18h, haverá atrações com participação de grupos vocais paraibanos. Na primeira noite haverá a presença especial de um grande coro composto por 500 vozes em comemoração aos 500 anos da Reforma Protestante; já na segunda noite, a abertura conta com Recital ‘O que move meu canto’, com a participação da soprano Giovanna Maropo; na terceira noite, a apresentação do Musical Infantil ‘Travessura’, sob a regência do maestro Carlos Anísio; na quarta noite será a vez da cantora Eliza Leão, com o show Raízes (músicas anglo africanas); e no sábado (18 de novembro) a abertura fica por conta do grupo ‘Meu Quintal’, que apresentará um show infantil incluindo leitura de poesia, sons de violão, pandeiro, zabumba e bichos.

O Fepac ainda vai oferecer duas oficinas a todos os maestros, preparadores vocais e estudantes de música. Uma oficina será ministrada pela professora e maestrina Patrícia Costa (doutora em Práticas Interpretativas pela UniRio), que falará sobre o ‘Canto Coral na Escola’. Já a outra oficina será ministrada pela professora e diretora de atividades Coral e Educação Musical em Connecticut College, Nova Londres, Wendy Moy (doutora em Artes Musicais, Condução Coral, Educação Musical cognato 2015 – Universidade de Washington, Seattle, WA).

Na ocasião, o festival também proporciona aos maestros uma mesa redonda com o título ‘O Canto Coral na Atualidade e o Processo de Socialização’, coordenada pelo maestro e chefe do Departamento de Música da Universidade Nacional de Brasília (UnB), David Junker. Ainda dentro das atividades do Fepac, vários corais vão circular pela cidade com apresentações paralelas em colégios, instituições e empresas.

O festival é uma realização da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), por meio do Centro de Comunicação Turismo e Artes (CCTA), e da Empresa Coteminas, com apoio cultural da Empresa D’Luck Confecções Varejo e Atacado; do escritório de advocacia Mendonça & Crisanto; do escritório Eduardo Nóbrega e Mariana Silveira Arquitetura e Interiores; Associação dos Docentes da UFPB (Aduf-PB); e a Cooperativa de Crédito dos Servidores das Instituições de Ensino Superior da Paraíba (Creduni).



Turismo em Foco