Linguagem
Queda

Confiança do comércio tem ligeiro recuo em novembro, após duas altas

Ligeira retração de novembro ocorreu em 8 dos 13 segmentos pesquisados

Foto: internet
O Índice de Confiança do Comércio (ICOM) ficou praticamente estável e fechou o mês de novembro com ligeiro recuo de 0,1 ponto, caindo para 92,4 pontos, após acumular alta de 10,1 pontos nos dois meses anteriores.

Os dados foram divulgados nesta terça-feira (28) pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV). A ligeira retração de novembro ocorreu em 8 dos 13 segmentos pesquisados e foi determinada pela piora no Índice de Situação Atual (ISA-COM), que caiu 0,8 ponto no mês, para 85,4. Já o Índice de Expectativas (IE-COM) avançou 0,7 ponto, atingindo 99,9.

“O resultado de novembro pode ser interpretado como uma relativa acomodação da confiança do comércio após dois meses em forte elevação",  afirmou o coordenador da Sondagem do Comércio da FGV, Rodolpho Tobler. Ele avalia que a queda do Índice da Situação Atual mostra que a recuperação da economia continua ocorrendo de forma gradual e que a alta do Índice de Expectativas "reforça o diagnóstico de manutenção da tendência de retomada do setor no ano, sob influência da inflação baixa, do ciclo de redução das taxas de juros e da melhora recente da confiança dos consumidores”.

Crescimento ao longo do ano

Apesar da relativa estabilidade no mês, o Índice de Confiança do Comércio sustenta crescimento ao longo do ano, segundo os economistas do Ibre/FGV. Entre janeiro e novembro de 2017, a alta foi de 13,5 pontos, enquanto no mesmo período do ano passado havia sido de 9,7.

No ano passado mais de 91% da alta havia sido motivada pela melhora das expectativas; já em 2017, o avanço mais expressivo foi no Índice de Situação Atual (62,4%).

A edição de novembro de 2017 coletou informações de 1.181 empresas entre os dias 1º e 24 deste mês.



Agência Brasil