Linguagem
No Brasil

Confira as profissões que estarão em alta em 2018

Estudo é das consultorias Michael Page, Page Personnel e Page Talent

Foto: divulgacao
Profissionais inovadores, digitais, que saibam operar de forma integrada com outras áreas da empresa e capazes de sugerir novos caminhos. Essas características são exigidas entre as posições que estarão em alta em 2018, segundo levantamento elaborado pelas consultorias Michael Page, Page Personnel e Page Talent.

As posições listadas refletem uma nova prioridade das empresas brasileiras após três anos operando “o máximo” com “menor custo”. Com a retomada da economia e perspectivas melhores em determinados setores, as empresas saem do “modo sobrevivência” para o “modo expansão”. “Nos últimos três anos, a prioridade era eliminar vagas para enxugar custos. As empresas passaram a operar em seu limite. Agora, elas querem criar uma plataforma para crescer, oportunidades para operarem melhor”, diz Ricardo Basaglia, diretor executivo da Michael Page e Page Personnel. Não querem deixar, segundo o especialista, a concorrência ganhar espaço no mercado.

A mudança não implica no retorno de cargos vigentes há três anos. “Após uma recessão, quando houve amplos cortes de empregos, as funções nunca voltam iguais. Vão ser demandados outros tipos de profissionais, em um novo contexto”, afirma Basaglia. Para 2018, o cenário é de pressão para que todas as áreas estejam perto dos clientes, com uma disputa bem acirrada. Para isso é preciso promover maior integração – e diálogo – interno. Neste contexto, profissionais de Recursos Humanos passam a atuar mais como “parceiros de negócios” e o “gerente de facilities” é muito demandado.

De forma geral, as posições indicadas no estudo exigem experiência e nível avançado de inglês. E todos os profissionais que possam se encaixar nelas, precisam ter em mente um valor, segundo Basaglia. “Não há pós-graduação, certificado ou MBA que prepara o profissional para o cargo e ele ‘está pronto’. Todas as funções estão sob constante mudança, o que exigirá postura autodidata e busca frequente por novos conhecimentos”.

Abaixo, confira quais as posições mais solicitadas para 2018 – considerando volume da demanda das empresas analisadas.

TI/DIGITAL

Diretores de transformação digital (diretor de e-commerce, diretor de marketing ou o diretor de TI/CIO – Chief Information Officer)

O que faz: seu papel é liderar todas as iniciativas de transformação digital e inovação das empresas. Os últimos anos foram marcados por forte expansão desses projetos, especialmente em varejistas, bancos e empresas de consumo

Perfil: profissionais que já tiveram vivência relevante em e-commerce ou empresas “nativas digitais” (que já nasceram com atuação online)

Salário: R$ 40 mil a R$ 65 mil, dependendo do porte da empresa

Por que estará em alta em 2018: como a revolução digital é a chave para a “virada” de muitos negócios e sobrevivência de vários setores, será uma figura fundamental no processo

Engenheiro ou Cientista de Dados

O que faz: combina habilidades em negócios e estatística. É o profissional responsável por solucionar problemas do negócio com técnicas de orientação a dados, bem como detectar tendências que podem ajudar nos resultados de uma empresa

Perfil: qualificações estatísticas, matemáticas e curiosidade para fazer descobertas em big data

Salário: R$ 9 mil a R$ 15 mil

Por que estará em alta em 2018: em um cenário onde as empresas precisam processar e analisar um grande volume de informações, o cientista de dados se tornou um profissional muito buscado. A expectativa é que ajude na estratégia da empresa, bem como colabore com inovações tecnológicas inteligentes

Gerente de Expansão (TI)

O que faz: visualiza o desenvolvimento e comercialização de produtos e negócios como funções integradas, e não silos (áreas isoladas). Sua tarefa é fazer a empresa repensar a melhor abordagem ao utilizar dados, tecnologia e infraestrutura

Perfil: capacidade de trabalhar de forma integrada com engenharia, design, análise, gerenciamento de produtos, operações e marketing para projetar e executar iniciativas de crescimento com base no desenvolvimento digital

Salário: R$15 mil a R$ 25 mil

Por que estará em alta em 2018: influenciadas pelas startups, grandes organizações buscam profissionais com habilidades de trabalhar dados, melhorar infraestrutura digital e, assim, conseguir inovar mais

Analista de Mídias Digitais

O que faz: responsável por conhecer com propriedade as principais redes sociais (Facebook, Twitter, Instagram, entre outras) e conhecimento técnico sobre perfil de usuários, performance, forma de conteúdo e metrificação. Ajuda, também, na gestão da marca e comunicação da empresa

Perfil: formação em Marketing, Publicidade e Propaganda, Comunicação Social. As formações especializadas são cada vez mais valorizadas nesse mercado, segundo a Page Group

Salário: R$ 3 mil a R$ 6 mil

Por que estará em alta em 2018: é uma profissão em ascensão, pois mais pessoas compram e buscam produtos/serviços pelas mídias digitais. As empresas precisam concentrar seus esforços na atração, engajamento e relacionamento com seus clientes nas redes sociais para que o negócio possa crescer. Isso é importante tanto para posicionamento da marca quanto para se envolver com seu público de modo mais assertivo e atual.

Gerente de Transformação Digital/Marketing

O que faz: implementa processos de mudanças digitais na empresa, trazendo ferramentas e agregando conhecimento para a modernização do marketing

Perfil: conhecimento em ferramentas digitais, além das noções básicas de marketing tradicional. Capacidade de ajudar a mudar cenários é primordial

Salário: R$18 mil a R$ 20 mil

Por que estará em alta em 2018: com a expansão do alcance digital, que passou a ser prioridade nas empresas, muda substancialmente a forma como o marketing é praticado. O resultado é a busca por profissionais que compreendam e dominem as ferramentas e tecnologias nessa esfera para agregar valor à empresa

FINANÇAS

CFOs (Chief Financial Officer)

O que faz: diretor financeiro da empresa responsável pela tesouraria, controladoria, planejamento financeiro e departamento tributário. Em algumas empresas, pode também responder por outras áreas de suporte (TI, RH ou jurídico)

Perfil: formações em diferentes áreas, com destaque para administração, economia ou engenharia. São profissionais que fizeram carreira a partir das áreas de controladoria, auditoria ou tesouraria. Em alguns casos, os CFOs são recrutados em bancos (especialmente dos bancos de investimento)

Salário: R$ 40 mil a R$ 90 mil, dependendo do porte da empresa

Por que estará em alta em 2018: esse profissional ganhou destaque em 2017, quando muitas empresas brasileiras se concentraram em reestruturar suas dívidas, reduzir custos e fazer um planejamento tributário. Foi um ano, segundo análise do Page Group, em que os CFOs “tornaram-se candidatos mais fortes em processos de sucessão para CEOs”

Controller

O que faz: lidera as áreas de contabilidade e controladoria das empresas, com grande visão do negócio e interação com o dia a dia da companhia

Perfil: conhecimento técnico financeiro, domínio completo das rotinas de contabilidade, controladoria e cada vez mais da tesouraria e planejamento financeiro e estratégico

Salário: R$ 20 mil a R$ 35 mil

Por que estará em alta em 2018: necessidade crescente da área financeira de se aproximar do dia a dia do negócio da empresa. Em pararelo, esses profissionais precisam atender mais exigências técnicas das matrizes e investidores

Analista Contábil de Report

O que faz: tem como principais obrigações a análise de contas, fechamento mensal, report internacional (IFRS/USGAAP) para matriz e explicação das variações contábeis

Perfil: formação em Ciências Contábeis

Salário: R$ 5 mil a R$ 12 mil

Por que estará em alta em 2018: a contabilidade passou de área de suporte para se tornar uma área mais próxima do negócio, fornecendo informações aos tomadores de decisões, bem como novas ideias. Isso gera uma grande exposição com as principais lideranças da empresa, principalmente as internacionais, segundo o Page Group

Analista de Investimentos

O que faz: profissional que normalmente atua em bancos ou outras empresas do segmento de serviços financeiros. É responsável direto por selecionar ou dar recomendações sobre como alocar o dinheiro da empresa ou cliente

Perfil: formação em Economia, Engenharia, ou Administração são os mais frequentes

Salário: R$ 3 mil a R$ 8 mil + bônus

Por que estará em alta em 2018: o mercado de serviços financeiros vem sofrendo constantes transformações e esse profissional é parte fundamental de qualquer segmento

GESTÃO

Conselheiro ou integrante do conselho consultivo

O que faz: representa os acionistas (ou parte deles) nas decisões estratégicas, na escolha e avaliação dos diretores e na avaliação dos resultados e cumprimento de obrigações da empresa

Perfil: tipicamente ex-CEOs e ex-CFOs, com conhecimento amplo em estratégia, finanças e avaliação de executivos sêniores. É uma posição que exige alta influência

Salário: R$ 12 mil a R$ 25 mil (considerando uma reunião mensal), dependendo do porte da empresa

Por que estará em alta em 2018: há muitas empresas familiares preocupadas com sua sucessão e a melhoria dos padrões de governança corporativa, além de estarem preparando a empresa para receber um novo investidor (especialmente fundos de private equity)

Business Partner (RH)

O que faz: desenvolve estratégias para o departamento de recursos humanos agregar valor no objetivo do negócio. Define padrões de cultura e valores organizacionais

Perfil: profissional com forte experiência na posição, visão de negócio, foco em resultado e liderança de equipe

Salário: R$ 20 mil a R$ 30 mil

Por que estará em alta em 2018: momento importante para trazer profissionais com visão de custo e mentalidade de parceiro de negócio

Gerente de Facilities

O que faz: apoia as operações da empresa de forma multidisciplinar com o objetivo de assegurar a funcionalidade do ambiente, por meio da integração das pessoas, propriedades, processos e tecnologias, garantindo a produtividade e a qualidade de vida dos seus usuários

Perfil: profissionais multitarefa com experiência em negociação e administração de contratos, gestão de equipes e capacidade de implementar e gerenciar indicadores de desempenho

Salário: R$15 mil a R$ 22 mil

Por que estará em alta em 2018: devido a crise econômica, os orçamentos estão mais enxutos. Um gerente de facilities pode trazer reduções de custos importantes por meio da otimização de processos e renegociação de contratos para a empresa

Gerente de Saúde, Segurança e Meio Ambiente

O que faz: gerencia todo sistema de saúde, segurança e meio ambiente da companhia, e por vezes também sustentabilidade

Perfil: profissional formado em Engenharia de Segurança do Trabalho, capaz de assegurar o cumprimento de regulamentos, implementar e defender políticas ambientais e garantir a segurança de seus funcionários

Salário: R$ 15 mil a R$ 20 mil

Por que estará em alta em 2018: profissional com visão estratégica torna-se mais importante nas empresas devido às exigências maiores de sustentabilidade, segurança e bem-estar dos funcionários

Analista de Desenvolvimento Humano Organizacional

O que faz: mudança (ou fortalecimento) da cultura da empresa. Estruturará uma avaliação de desempenho por competências, mapeamento de profissionais de alta performance e de posições-chave para crescimento adequado da companhia

Perfil: formação em Psicologia ou Administração de Empresas

Salário: R$ 7 mil a R$ 10 mil

Por que estará em alta em 2018: após momento de redução de custos e recursos, as companhias enxergam a necessidade de fortalecer sua equipe para o momento de retomada de mercado. Para isso, existe a necessidade de estruturação para atração e retenção de talentos

OPERACIONAL

Gerente Nacional de Vendas

O que faz: responsável pela gestão da equipe de consultores de vendas e propaganda, com habilidade e experiência de elaborar e executar o plano estratégico alinhado com a política de compliance

Perfil: estratégico e ativo para se envolver em ações de campo. Além disso, conhecimento profundo na área da saúde, capacidade de fazer gestão de times heterogêneos, visão macro de negócios e contato com os principais stakeholders

Salário: R$ 20 mil a R$ 30 mil

Por que estará em alta em 2018: as empresas estão mudando a mentalidade e se realinhando com as mudanças de mercado

Secretário Executivo Bilíngue Sênior

O que faz: atende as demandas operacionais e estratégicas da alta liderança, garantindo o fluxo de trabalho da diretoria. Além deste papel, coordena o time de serviços da empresa (recepção, copa, limpeza, facilities)

Perfil: formação em Secretariado ou Administração de Empresas

Salário: R$ 10 mil a R$ 14 mil

Por que estará em alta em 2018: é um profissional com maior refinamento técnico para lidar com pressão e gestão de pessoas (mesmo que indireta), por conta da expansão das responsabilidades do próprio executivo ou da estrutura organizacional

Gerente de Franquias: responsável pela expansão de franquias em marcas nacionais e internacionais

Perfil: relacionamento com associações de franquias, grupos de shopping centers e contatos comerciais com franquiados capazes de fechar negócios sólidos

Salário: R$ 15 mil a R$ 20 mil

Por que estará em alta em 2018: empresas querendo se expandir com a colaboração de investidores terceiros

Gerente comercial

O que faz: é quem pode buscar novas frentes de negócio e aplicações, principalmente nos mercados que começam a reagir positivamente à crise ou que não sofreram impacto como farmacêutico/cosméticos, agronegócios e embalagens

Perfil: atuação consultiva, background técnico essencial e foco em desenvolvimento de mercado

Salário: R$ 12 mil a R$ 18 mil

Por que estará em alta em 2018: retomada da indústria e investimento das empresas nas áreas de negócios e na frente comercial

Gerente de Compras (Supply Chain)

O que faz: lidera a área de compras, sendo o responsável por garantir boas condições de pagamentos, manter relacionamento com fornecedores e assegurar que todos os stakeholders sejam atendidos em suas demandas no momento correto

Perfil: domínio das metodologias de compras e habilidades de gestão bem desenvolvidas e das rotinas da área de compras

Salário: R$ 18 mil a R$ 25 mil

Por que estará em alta em 2018: área extremamente sensível e estratégica em um momento de retomada da economia, onde há possibilidade de novos contratos serem firmados

Comprador

O que faz: entende e domina a toda a rotina de compras, independente da categoria (diretos, indiretos, produtivos, MRO, Capex)

Perfil: negociador e dono de capacidade de comunicação, capaz de criar valor e trazer ganhos para empresa por meio do bom relacionamento com fornecedores e clientes internos. Conhecimento em ferramentas mais atuais de Strategic Sourcing é um diferencial — mas exigência que vem ganhando cada vez mais importância. O profissional de compras pode ter formação em diversas áreas, sendo as mais comuns: Administração de Empresas, Comércio Exterior e Engenharia

Salário: R$ 5 mil a R$ 10 mil

Por que estará em alta em 2018: as empresas passaram a perceber a importância estratégica da área de compras especialmente em períodos de crise. Desta forma, o perfil do profissional de compras mudou e as companhias buscam profissionais para implementar novas ferramentas, mudar processos e procedimentos. Gente que possa ajudar a criar novos indicadores de desempenho capazes de gerar dados e análises estratégicas

JURÍDICO

Sócio ou gerente de Contencioso Cível

O que faz: atua diretamente com processos jurídicos, resolvendo questões legais já em esfera judicial ou arbitral

Perfil: profissionais com capacidade de coordenar equipe nesta esfera e com autonomia para conduzir casos estratégicos, além de processos em volume

Salário: R$ 15 mil a R$ 40 mil

Por que estará em alta em 2018: com a retração da economia, segundo o Page Group, há um aumento de conflitos e de cobranças, o que resultará no maior número de processos judiciais na esfera cível




Newtrade