Linguagem
Pelo Sebrae

Indústria alimentícia impulsiona desenvolvimento de empresas paraibanas

A iniciativa abrange seis Estados da federação e beneficia 800 empresas

Foto: Divulgação
A cadeia produtiva dos transformadores de farinha, dos quais fazem parte pizzarias, panificadoras, confeitarias e designers de bolo, se reuniu na manhã dessa terça-feira (5), em João Pessoa, para avaliar os resultados do projeto que é fruto da política nacional do Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa - Sebrae de fortalecimento conjunto das micro e pequenas empresas que fornecem ou compram de grandes empresas. A iniciativa abrange seis Estados da federação e beneficia, ao todo, 800 micro e pequenas empresas e microempreendedores individuais.

Na Paraíba, são 48 empreendimentos engajados no projeto cuja realidade vem sendo transformada graças à realização de cursos, participação em grandes eventos de inovação e tecnologias aplicadas ao segmento empresarial e das mais de 1.500 horas de diagnósticos e consultorias nas áreas de gestão, finanças, estratégia, layout e técnicas. Para Elianete Alves, gestora estadual do Sebrae, a parceria faz com que todos cresçam, se aprimorem e atendam às exigências desse mercado consumidor exigente e se tornem competitivos ante à concorrência.

Ana Nunes é uma das empreendedoras que aderiram ao projeto. Quando ingressou, ela trabalhava de forma artesanal na fabricação de salgados e tortas para festa. A empresária que chegou a possuir uma empresa de serviços para festas de aniversário, com um acervo para locação de brinquedos, mobiliário e carrinhos de lanche, estava cansada e sem perspectivas de crescimento. Com o casamento das suas colaboradoras, Ana Nunes se viu sozinha na gestão e execução das atividades e optou por vender o empreendimento e focar naquilo que sempre gostou de fazer: salgados e bolos.

Recentemente, durante um evento que participou graças à inclusão da empresária no projeto de Encadeamento Produtivo desenvolvido pelo Sebrae em parceria com a empresa Moinho Dias Branco, uma das maiores empresas nacionais no setor alimentício, Ana Nunes adquiriu uma máquina que fabrica os salgados de festa, sem reduzir a qualidade do produto final.

“Em pouco tempo participando do projeto eu realizei cursos, fui para eventos e recebi consultoria. Eu já queria mudar umas coisas, tinha umas ideias, mas a consultoria aprimorou e adaptou o ambiente de uma forma melhor. Espero concluir a obra em janeiro. Investimos cerca de R$ 25 mil reais nessas melhorias, e temos fé que o retorno virá logo”, explica Nunes.

Encadeamento produtivo - são relacionamentos cooperativos, de longo prazo e mutuamente atraentes, que se estabelecem entre grandes companhias e pequenos negócios de sua cadeia de valor, com a finalidade de adequar estes últimos aos requisitos das grandes e facilitar a realização de negócios entre eles, melhorando a competitividade dos pequenos, das grandes companhias e da cadeia de valor como um todo.

O projeto Encadeamento Produtivo Moinho Dias Branco, teve início em abril deste ano e deverá expandir o atendimento de empresas paraibanas em 2018. Antônio Felinto Neto, gerente estadual de desenvolvimento setorial do Sebrae Paraíba, lembra da importância  de agregar também as associações, sindicatos e todas as entidades que compõem o capital social que faz desse projeto fundamental para manter a vivacidade desse movimento de saída da crise. 




Assessoria