Linguagem
Sem cortes

Especialista orienta “mini lipo” para redução de medidas

Segundo Janaína Guedes, técnica da hidrolipoclasia não aspirativa é um procedimento seguro e eficiente

Foto: internet
Um procedimento que tem chamado atenção dos antenados em estética é a hidrolipoclasia não aspirativa. Trata-se de uma opção para quem quer se livrar daquela gordurinha localizada, sem correr os riscos de uma cirurgia plástica. A fisioterapeuta dermatofuncional, Janaína Guedes, referência na aplicação da técnica em João Pessoa, concorda que a "mini lipo" tem sinalizado bons resultados nas clientes.

Segundo Janaína, a  técnica é minimamente invasiva e consiste na aplicação de soro fisiológico (cloreto de sódio) através de uma agulha de insulina na área da gordura a ser eliminada. Em seguida, o uso de ultrassom de alta potência agita e rompe as células de gordura que serão queimadas pelo próprio corpo como fonte de energia. “Logo após, a cliente precisa utilizar uma cinta modeladora por 15 dias, suspender o consumo de carboidrato e açúcar por 2 dias e fazer drenagem linfática para otimizar o resultado”, explica a especialista.

Segundo ela, o risco da  hidrolipoclasia não aspirativa praticamente não existe. Ele é contraindicado nos casos de insuficiência cardíaca, trombose ou pele lesionada. “De modo geral, é uma técnica muito segura sem riscos de fibrose, lesão de vasos sanguíneos ou linfáticos”, ponderou Janaína. Os resultados que já aparecem a partir do sexto dia, com conclusão em um mês. 

Além  de João  Pessoa, Janaína também realiza atendimentos  nas cidades de Patos e Malta pelo telefone (83) 98670-2173. O instagram é @janainafisioproestetica




Assessoria