Linguagem
Compra

PROTESTE avalia seis modelos de tablets para crianças

Dos básicos aos robustos, associação auxilia pais na escolha do melhor aparelho para cada faixa etária

Foto: internet
Tablets são dispositivos eletrônicos muito vistos nas mãos de crianças em diversos lugares do mundo. A PROTESTE, associação de consumidores, testou os equipamentos para ajudar o consumidor a proteger os pequenos de conteúdos impróprios na rede.

Foram avaliados dois grupos de usuários: crianças de 2 a 5 anos e de 5 a 10 anos. É possível que o consumidor configure o dispositivo para que as crianças possam usar de forma segura e controlada, evitando que encontrem conteúdos impróprios ou se depararem com hackers. Crianças de 2 a 5 anos não precisam de aparelhos com muitas funcionalidades, isso porque procuram jogos simples, que podem ser baixados em tablets básicos.

Para esta categoria foram testados três aparelhos: Samsung Galaxy Tab E 8 GB, Apple iPad Mini 4 128 GB E Samsung Galaxy Tab A 7" 8GB. O último é considerado mais acessível por custar entre R$431 e R$599. O modelo da Apple varia de R$ 1.899 a R$ 2.999, sendo o mais caro, mas o de qualidade e memória superior aos demais.

Por outro lado, o Galaxy Tab A 7", possui pouco armazenamento, mas tem espaço para expansão, através de um micro SD. O mesmo pode ser feito com o Tab E, que também tem 8GB de espaço interno. Este último, é um modelo bem básico e pode ser encontrado pelo consumidor de R$ 650 a R$ 868. Ele consegue rodar games simples e foi avaliado como de excelente conveniência durante o uso.

Entre os aparelhos, o iPad se destaca pela qualidade, mas o consumidor não precisa desembolsar um valor tão alto para um aparelho voltado para crianças de 2 a 5 anos, pois elas não perceberão as diferenças entre os dispositivos.

Já as crianças de 5 a 10 anos preferem aparelhos com maior processamento, uma tela maior para a desenvoltura em jogos mais elaborados e para o mundo virtual dos serviços de streaming de aplicativos, música e vídeos. Para este público, a PROTESTE, também analisou dois aparelhos da Samsung e um da Apple.

O Samsung Galaxy Tab S3, de 9,7", é simples de manusear e conta com 4G. Já o Galaxy Tab S2 2016 8.0 32GB, possui espaço para expansão de memória com um micro SD e o New iPad 9,7", com 128 GB de memória, ótima tela e a segurança do back-up. Diferente dos outros, ele é o único a oferecer somente conexão Wi-Fi.

Ao escolher um produto, o consumidor deve se atentar a segurança antes de entregá-lo nas mãos de uma criança. A PROTESTE, deixa algumas dicas de monitoramento que podem fazer diferença. Os aplicativos de controle parental, limite de uso e bloqueios são aconselhados. A Sociedade Brasileira de Pediatria estipula que crianças de 2 a 5 anos passem no máximo uma hora por dia na frente destes dispositivos e que as de 5 a 10 anos passem no máximo três horas, para não esquecerem de praticar exercícios.

Os apps de controle parental como Kids Place e Kids Zone, mudam as configurações do tablet com temas infantis, travam a maioria dos aplicativos e restringem os conteúdos de acordo com a idade da criança. Para os maiores, os aplicativos Kaspersky Safe e COntrole Parental Safe Family passam informações de localização, conversa e acesso à Internet. Alguns serviços de streaming de vídeo fornecem a opção kids, como o YouTube.

Os consumidores podem optar por tapar microfones e câmera dos dispositivos, além de restringir o tempo em que o aparelho fica ligado à Internet para evitar ataques virtuais, outra dica é inserir senhas nas lojas de apps para evitar compras acidentais.

A PROTESTE avaliou mais 24 modelos de tablets, segundo os perfis do consumidor, confira aqui.




Assessoria