Linguagem
Investimento

PROTESTE dá dicas de como administrar o 13º salário

Primeira parcela do benefício deverá ser paga até 30 de novembro

Foto: Internet

Este ano, o 13º salário deverá injetar cerca de R$ 211,2 bilhões na economia do país, segundo pesquisa do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos). Garantido pela Lei 4.090, de 13/07/1962 aos trabalhadores no regime CLT, o benefício deverá ser pago em duas parcelas, sendo a primeira até 30 de novembro e a segunda metade, que vem com desconto de INSS e Imposto de Renda, até 20 de dezembro.

O valor, que corresponde a um salário a mais no final do ano, pode ser utilizado das mais variadas formas. No entanto, dados da economia apontam que 63 milhões de pessoas estão negativadas, segundo dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), o que expõe o momento ainda delicado da economia com 14 milhões de desempregados e baixo crescimento.

Por isso, a fim de orientar os consumidores, a PROTESTE, associação de consumidores, oferece dicas de como aproveitar esse valor extra segundo as prioridades e tendo em vista um mínimo planejamento financeiro.

Quitar as dívidas atrasadas

É sabido que quitar as contas pendentes é essencial. Desta forma, mesmo se não for possível acabar com todas elas, o consumidor deve optar pelas dívidas com os juros mais altos, tais como cheque especial e cartão de crédito. É importante ter em vista que um dinheiro extra à vista melhora as condições de negociação para quitar financiamentos pendentes, o crédito rotativo do cartão ou o cheque especial. Vale a pena procurar o credor e procurar negociar.

Dinheiro para contas do início do ano

Despesas com IPTU e IPVA, material escolar e rematrícula de escola ocorrem sempre no início do ano. Sendo assim, recomenda-se reservar uma parte do 13º para não se endividar logo em janeiro. Fazer o orçamento agora é fundamental com uma boa previsão de gastos incluindo também as despesas de fim de ano com refeições, amigo secreto e confraternizações.

Reservar um dinheiro para viajar

Com as dívidas em dia, aproveitar o dinheiro para levar a família para descansar é uma boa escolha. Para tal, negociar com o vendedor os possíveis descontos pode deixar a viagem ainda mais em conta, bem como comprar com antecedência.

Se a maior parte do 13º for usada para quitar dívidas, o orçamento restante pode ser aplicado em um pacote promocional de férias, mesmo que o destino não seja uma grande viagem. O que vale, novamente, é negociar as condições e ter em vista que o pagamento em uma só cota pode render ótimos descontos.

Por outro lado, se se for necessário converter o dinheiro, os consumidores podem acessar o site da PROTESTE e utilizar o comparador de câmbio. Com ele, é possível descobrir a melhor taxa de câmbio oferecida na cidade que o indivíduo reside. Além da cotação de moeda em tempo real, ainda é possível negociar com as casas de câmbio, dando lances online no site https://www.melhorcambio.com/proteste/.

No caso de viagens para o exterior, também é recomendado adquirir o seguro viagem. Apesar da contratação não ser necessária em todos os países, o serviço é aconselhado para evitar imprevistos durante o período contratado. Para saber a melhor opção com base no perfil pessoal, a associação elaborou um comparador de seguro viagem, levando em conta o custo-benefício. Basta acessar proteste.org.br/seguroviagem.

Investir parte do salário

Investir o dinheiro é uma porta de entrada para uma vida de independência financeira. E, com a situação atual do Brasil, reservar um dinheiro para investir é uma boa alternativa para iniciar bem o próximo ano. Algumas opções de investimento são a renda fixa e Tesouro Direto.

Eles têm rendimento acima da inflação, e oferecem risco baixo, mas antes de optar o consumidor deve ficar atento às taxas de administração e expectativa de retorno bem como a possibilidade de sacar o valor investido em caso de emergência. Para isso, consultar um planejador financeiro ou um especialista que não seja o gerente do banco é a melhor opção. E veja as dicas da PROTESTE.

Presentear-se

Caso o consumidor queira adquirir um bem de maior valor a partir do valor que recebeu no final do ano, é recomendado realizar um planejamento financeiro. Somar o dinheiro extra dos próximos meses, e se necessário, cortar gastos supérfluos é uma atitude fundamental. Em caso de presentes com planejamento, momentos como a Black Friday são especialmente indicados. Acompanhe os preços dos itens que deseja e verifique se realmente estarão mais vantajosos na Black Friday para não ser enganado por um falso desconto.

Se o consumidor tiver alguma dúvida, basta entrar em contato pelo telefone (21) 39063980.




Assessoria