Linguagem
Oportunidade de negócio

Fiep, em parceria com Sebrae Paraíba, realiza capacitação sobre exportação para empresas nesta quinta

Evento será no auditório da Federação, no Centro da capital, e as inscrições podem ser feitas até a hora da capacitação

Exportar pode ser o sonho de muitos empreendedores, principalmente por diversificar o mercado e representar uma boa oportunidade de negócio. Entretanto, para quem não está habituado a essa modalidade de comércio, dúvidas como “por onde começar?” ou “o que é preciso para exportar?” são comuns. Dessa forma, a Federação das Indústrias do Estado da Paraíba (Fiep), por meio do Centro Internacional de Negócios da Paraíba (CIN), e em parceria com o Sebrae, promove nesta quinta-feira (13) a capacitação “Noções de exportação para internacionalização de empresas”, no auditório da Fiep.

As inscrições podem ser efetuadas através do link: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSddsTnPfWLJBnLQ8luiNao0lrMoJAleKKxvWAGMTWVvjwl3aQ/viewform até o horário do evento, que será das 9h às 12h, com intervalo para almoço, e segue das 13h até às 17h. A taxa de inscrição é R$100, valor que inclui material e certificado. A capacitação será ministrada pelo professor Gustavo Delgado, que é pós graduado em Comércio Exterior e possui Mestrado em Economia Internacional pela UFPE, com experiência em Comércio Exterior e Logística.

A capacitação desta quinta-feira vai oferecer cursos práticos e esclarecedores de todos os processos que envolvem a internacionalização de empresas. De acordo com a gerente do CIN Paraíba, Raquel Leite, é importante semear a visão de comércio exterior como oportunidade de negócio, o que é feito em centros internacionais de negócios espalhados por todo o país. Para isso, os centros promovem regularmente capacitações, missões e estudos de inteligência comercial com foco na internacionalização de empresas. 

“As vantagens em exportar são inúmeras. Pode-se obter uma diversificação de mercados, de forma que a empresa não dependa apenas do mercado interno e da sazonalidade e retrações de vendas, comuns a todos os mercados. Exportar faz com que a empresa passe por um processo de desenvolvimento de um produto com mais qualidade e mais competitivo, o que indiretamente ressoa na presença mais valorizada dele no mercado interno. Se consegue desenvolver de forma eficiente e antenada, fará com que a empresa evolua em diversos aspectos, tornando-a mais moderna, forte e com um maior valor de marca”, explicou.

Burocracias e tarifas atrapalham

Atualmente, 44 empresas paraibanas exportam seus produtos. Dentre as principais dificuldades observadas pelo CIN Paraíba no tocante à exportação, de modo geral, estão as cotas tarifárias, questões sanitárias, licenças, exigências excessivas e burocracia, que acabam contribuindo para que o produtor decida por não exportar. No entanto, conforme Raquel Leite, as elevadas tarifas cobradas por portos e aeroportos, a dificuldade na oferta de preços competitivos e os elevados custos do transporte doméstico são os problemas mais críticos.

“Para superar as dificuldades que envolvem um processo de exportação, é necessário buscar os meios que envolvem todo o processo após a decisão de exportar, quais sejam: adequar a empresa, qualificar produto, qualificar funcionários, buscar assessoria e estudos na área para que possa iniciar um projeto com mais possibilidade de êxito”, destacou.

Para o analista técnico do Sebrae Paraíba, José Marcílio de Sousa, capacitações como esta contribuem não apenas para a inserção das micro e pequenas empresas no cenário mercadológico internacional, como também auxiliam no enfrentamento das dificuldades nesse processo, a exemplo da burocracia e taxas alfandegárias. “Essa capacitação vai possibilitar às micro e pequenas empresas um crescimento de forma sustentável e acesso a novos mercados, o que as tornará mais competitivas”, comentou.




Assessoria