Linguagem
Tendência

Incentivar a felicidade nas empresas transforma colaboradores, diz estudo

Em João Pessoa, a treinadora comportamental Nadja Passamani foi a pioneira a trazer o tema

Foto: Jessica Santos
Em meio a rotina do dia a dia, dividida entre atividades profissionais, acadêmicas, cuidados com a casa e com a família, além dos imprevistos inevitáveis, as pessoas acabam deixando de lado a perspectiva do cuidado pessoal e emocional relacionado diretamente à felicidade. A mídia e a sociedade parecem idolatrar os chamados workaholics, indivíduos que vivem imersos no trabalho, de forma não saudável e em detrimento da realização pessoal. Em 2017, dados alarmantes referentes a transtornos psicológicos foram divulgados pela OMS (Organização Mundial da Saúde), revelam que o Brasil é o país com a maior taxa de pessoas com transtornos de ansiedade no mundo, e o quinto em casos de depressão. Observando a influência desses distúrbios no desenvolvimento pessoal e profissional dos indivíduos, a treinadora e especialista em desenvolvimento de pessoas, Nadja Passamani, desenvolveu seu trabalho voltado para o maior desejo humano: ser feliz.

Tema já utilizado em universidades e entidades internacionais, Nadja foi a pioneira em trazer a aplicação do assunto localmente, em João Pessoa. Ela  desenvolveu a palestra e o treinamento intitulados de “ A Força da Felicidade”, a partir da Psicologia Positiva. “Buscando trazer maneiras de treinar o cérebro para capitalizar os padrões de felicidade e otimismo, de modo a tornar os colaboradores mais positivos, produtivos, criativos e saudáveis, procurei apoio em uma metodologia científica que pudesse apresentar comprovações de que a felicidade impulsiona o sucesso, e encontrei a psicologia positiva. A partir dela, criei a palestra e também o treinamento para levar até as empresas esse desenvolvimento”, comenta.

A felicidade já é amplamente estudada ao redor do mundo por cientistas e psicólogos, que analisam desde as influências neurológicas a fatores ambientais externos na relação com o se sentir bem. Mas, quais fatores podem colaborar em nossa jornada pela tão sonhada felicidade? Segundo Nadja, o alinhamento de nossos propósitos seria o ponto de partida. “É necessário que as pessoas entendam a sua motivação para estar trabalhando, que tenham consciência do seu propósito de vida e que tenham um trabalho que esteja intrínseco a isso. Um outro ponto importante é o equilíbrio emocional, pois muitos indivíduos tem a dificuldade de definir uma visão de futuro, e isso acaba levando ao desiquilíbrio”.

A especialista comenta também sobre o papel do mercado empresarial no desenvolvimento pessoal de seus colaboradores. Entre os benefícios, estão o aumento da produtividade, a melhora no relacionamento entre os funcionários, o apoio ao trabalho do RH no desenvolvimento de talentos e  a diminuição de faltas. Para ela, a abordagem do tema é de urgência na formação de indivíduos. “Essa matéria é uma necessidade em nosso ensino nacional, pois existe uma cobrança excessiva para que o ser humano seja perfeito, sem o auxílio de um ensino que ofereça suporte psicológico. Ser feliz não significa não ter problemas, mas sim saber lidar com eles, com inteligência emocional”, constata a treinadora.

Serviço:

Nadja Passamani - Treinadora e especialista em desenvolvimento de pessoas

Contato: (83) 99921-0011

E-mail: 

 diretoria@nadjapassamani.com

Site:

 nadjapassamani.com





Assessoria