Linguagem
Conscientização

Energisa e Abradee iniciam Campanha de Segurança com Energia Elétrica

Serão desenvolvidas ações educativas em escolas de João Pessoa, Campina Grande, Patos e Sousa

Foto: divulgação
É aí que mora o perigo, eu me ligo na vida! O slogan da XIII edição da Campanha Nacional de Segurança com Energia Elétrica traduz a forma como as distribuidoras de energia elétrica pretendem chamar a atenção da população para o tema, alertando para os riscos com a rede e os cuidados necessários no dia a dia. A campanha promovida pela Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee) e as 41 distribuidoras associadas pretende focar as ações de conscientização nas principais causas de acidentes, buscando eliminá-los, considerando inclusive, a elevação observada no último ano de aproximadamente 3% no número de ocorrências, e de 5,8% nos acidentes fatais.

Este ano, a Campanha Nacional de Segurança com Energia Elétrica realizada pelas concessionárias pretende alcançar toda a população brasileira. A campanha foi lançada no último dia 5 de agosto, mas sua aplicação com as ações de conscientização para prevenção de acidentes, é  realizada ao longo de todo o ano pela Energisa na Paraíba. Durante a campanha, a Energisa Paraíba vai realizar palestras educativas em escolas e em canteiros de obras, além de mapear as áreas com maior ocorrência de acidentes, para ações mais direcionadas. Também são veiculados spots de rádio, ações nas redes sociais e distribuição de folhetos explicativos com dicas de prevenção de acidentes.

Em 2018, na Paraíba, foram registrados ao todo 14 acidentes com energia elétrica, dos quais nove tiveram vítimas fatais. Até julho de 2019, já são 11 acidentes registrados, cinco com vítimas fatais, em todo o Estado. Entre os 25 acidentes entre janeiro de 2018 e julho de 2019, 15 aconteceram devido ato inseguro ou negligência por parte do envolvido.

Dados do levantamento nacional- Em 2018, foram registrados pelas distribuidoras 891 acidentes em todo o país. Destes, 271 foram de maior gravidade e ocasionaram a morte das vítimas (no ano anterior, foram registrados 19 casos fatais a menos). A principal responsável pelos acidentes fatais ocasionados pelo contato com a rede de energia é a construção/manutenção predial, com 55% dos casos no último ano, o que equivale a 89 mortes. Neste caso, observa-se o grande número de construções de pequeno e médio porte realizadas sem o acompanhamento de profissionais especializados ou pessoas qualificadas para realizar as instalações. 

Dentre as outras causas fatais trabalhadas pela campanha, destacam-se: acidentes com cabo energizado com 12% (20 casos); operação de máquinas agrícolas com 9%; ligações clandestinas (“Gato”) e poda de árvores, com 7%; empinar Pipa/Papagaio, 6% e instalações de Antenas de TV, 4%.

Em relação às taxas de gravidade e de frequência dos acidentes (incluindo os fatais), de 2001 a 2018, houve uma redução de 43% nos acidentes com alta gravidade. Já a frequência dos acidentes ao longo do período teve uma queda de 30%.

Para o presidente da Abradee, Marcos Aurélio Madureira da Silva, os dados demonstram a necessidade do fortalecimento e expansão da iniciativa. “Nossa missão é ampliar cada vez mais a abrangência dessa campanha para que possamos reduzir ainda mais o número de acidentes com a rede elétrica no país. Os dados são claros, à medida em que alertamos as pessoas, a partir de campanhas e ações de conscientização, automaticamente ocorre uma redução no número de acidentes”, afirma. 

A Abradee reforça que, a cada ano, as distribuidoras investem R$ 16,1 bilhões em recursos de melhorias, segurança e modernização das redes elétricas, inserindo cada vez mais padrões construtivos com redes isoladas e protegidas, além de mecanismos mais acurados de proteção. Entretanto, a entidade destaca que além disso, é importante o envolvimento de toda a sociedade nas ações de conscientização para a prevenção dos acidentes, em especial de outros prestadores de serviços que fazem o uso compartilhado da infraestrutura das redes.

Recorte por região – Analisando os casos de acidentes fatais no período de 10 anos (2009 a 2018), envolvendo as sete principais causas de acidentes fatais no Brasil, observa-se a seguinte distribuição por região do país: 14% dos casos ocorreram na região Norte (que conta com 8,7% da população brasileira); 31% no Nordeste (27,2% dos habitantes); 35% no Sudeste (42,1% dos brasileiros); 11% no Sul (14,3%); e 9% no Centro-Oeste (7,7%).

Fique atento para algumas dicas de segurança:

Antena de TV: ao instalar ou consertar antenas, cuidado com a rede elétrica. Escolha um lugar afastado dos fios, observando quando o tempo estiver bom, sem chuva. Caso a antena caia na fiação, nunca tente segurá-la ou recuperá-la. 

Poda de árvores: nunca faça poda de árvores que estiverem próximas ou em contato com a redes elétricas. Entre em contanto com a prefeitura de sua cidade e solicite o serviço. A poda de árvores é um serviço que deve ser realizado somente por profissionais preparados e qualificados.

Pipas: sempre empine pipas em locais abertos e afastados da rede elétrica. Jamais use fios metálicos ou cerol, e caso a pipa fique presa, não tente resgatá-la. Estas orientações devem ser reforçadas junto às crianças.

Construção ou Manutenção Predial: ao construir ou reformar, mantenha uma distância segura da rede elétrica, principalmente ao movimentar materiais metálicos, como barras de ferro e arames. Consulte sempre um profissional capacitado para este tipo de serviço ou a sua distribuidora.

Ligação Clandestina (Gato): ligações da rede elétrica, somente pelo eletricista de sua distribuidora de energia. Furtar energia é muito perigoso. Além de ser um crime, provoca acidentes e coloca vidas em risco.

Cabo Energizado ao solo: Nunca toque em fios caídos na rua. Se encontrar um, entre em contato com a concessionária local para providenciar a remoção.

Manuseio de Equipamentos Agrícolas: Desvie os equipamentos  dos estais (estirantes ou rabichos). Eles seguram os postes. Não corte nem mude os estais de lugar. Abaixe as barras do pulverizador ao passar debaixo dos fios. Evite parar a colheitadeira debaixo da rede elétrica. Não suba nela se estiver perto dos fios. Atenção ao regular o equipamento de irrigação nas áreas próximas a redes elétricas. Se o jato de água atingir os fios, pode ocorrer curto-circuito.




Assessoria Energisa