Linguagem
Comércio

Dia das Crianças: confira 5 dicas para vender mais

Pensar além do básico, apostar em produtos lúdicos, estão entre as dicas

Foto: Divulgação
Já é sabido que as expectativas do comércio para a vendas do Dia das Crianças deste ano estão bastante tímidas. Segundo o Serasa, cerca de 63% da população brasileira possui dívidas vencidas, e 40,3%, quase metade da população adulta deve na praça e 4 entre 10 brasileiros já declararam não ter condições de quitar suas dívidas a curto prazo. E o 13° salário, que muitas vezes foi o grande permissor de compras extras em datas especiais como Dia das Crianças e Natal, muito provavelmente será destinado ao pagamento de algumas contas. Luciano Salamacha, um dos professores mais premiados da FGV Management e doutor em administração, afirma que o momento não é para desanimo, mas sim para planejamento de vendas.

Para o professor, o lojista precisa criar estratégias bem definidas para minimizar prejuízos para este ano em função de baixas vendas, não criar grandes estoques e se preparar para uma queda no valor que o consumidor gastará com os presentes nas datas comemorativas.

Considerado uma autoridade em estratégicas e gestão, Luciano Salamacha explica que agora é o momento em que as marcas devem inovar e buscar renovar a forma com que vinham atuando. Além do momento economicamente crítico que o Brasil enfrenta, vale ressaltar que a estrutura familiar também está diferente, mais enxuta, com menos filhos.

Investir em produtos lúdicos, que permitem interação entre pais e filhos, é uma das sugestões do especialista. E ele justifica: “Esse itens acabam seduzindo os pais pelo fator emocional e pode levá-los ao consumo”. O professor da Fundação Getúlio Vargas comenta que a grande maioria dos pais que forem comprar algo, estarão de olho em opções mais baratas, e deverão negociat com seus filhos para garantir também o presente de Natal.

Então, algumas estratégias podem gerar maior movimento no Dia das Crianças. Cinco delas, são:

1. Pensar além do básico, apostar em produtos lúdicos. Brinquedos que podem aproximar a família;
2. Abordagem diferente para atrair o consumidor. Mude prateleiras, cores, pense na loja com ambientes interativos, um parque de diversão.
3. Renovação. Tente produtos novos, clientes novos aparecerão;
4. Gestão de estoque para minimizar prejuízos em 2020,
5. Criar interesse com promoções. A palavra promoção por si só já atrai o cliente. Mas não tente enganá-lo. De fato, pense em estratégias verdadeiras e pontuais em que possa ajudar o consumidor e potencializar as vendas, ainda que com uma margem de lucro menor.




Newtrade