Linguagem
CRM-PB

Evento discute desafios da Medicina em João Pessoa

Haverá debates sobre o ato médico e a identidade de gênero, saúde profissional e pressões da vida acadêmica

Foto: internet
 A categoria médica é uma das profissões mais acometidas pela Síndrome de Burnout, um estresse laboral crônico. Estudos relatados pela Câmara Técnica de Psiquiatria do Conselho Federal de Medicina (CFM) mostram que 48,5% dos médicos descreveram sintomas da síndrome em algum momento profissional. Para discutir o profissional da Medicina em sua forma integral, inclusive sua própria saúde, o Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB) vai realizar uma extensa e diversificada programação para comemorar o Dia do Médico.

A programação terá início no dia 15 de outubro e segue até o dia 19, na sede do CRM-PB, em João Pessoa. Durante estes dias haverá debates em três mesas redondas, realização do Fórum de Segurança para o paciente, lançamento de dois livros, além de apresentações de música, exposição de fotografias e pinturas e artes cênicas.

O ato médico frente às novas identidades de gênero, o profissional médico nas dimensões espiritual, psicológica e somática, as pressões da vida acadêmica, além das expectativas do sonho de ser médico contrapostas à realidade são alguns temas que serão debatidos durante estes dias.

"Resolvemos fazer uma programação ampla e variada que contemple o profissional médico como um ser humano integral. Os médicos padecem de estigmas e expectativas sociais, tendo suas doenças e fragilidades não discutidas. Por isso, precisamos parar e pensar também em nossa saúde e qualidade de vida. Durante esses dias, vamos debater temas interessantes não apenas para os médicos, mas também para os estudantes de Medicina, que padecem de pressões, estresse e incertezas desde a faculdade”, destacou o presidente do CRM-PB, Roberto Magliano de Morais.

A programação alusiva ao Dia do Médico terá início, no CRM-PB, às 19h do dia 15 de outubro, com uma exposição de fotografias e pinturas de crianças e jovens com Síndrome de Down, além da apresentação da Escola de Música Juarez Johnson do Espaço Cultural.

Quem são os médicos da Paraíba

                De acordo com a Demografia Médica do CFM, publicada ano passado, há na Paraíba 6.753 médicos, sendo que 60,8% (4.107) estão localizados em João Pessoa. Do total de médicos do estado, 47,5% são mulheres, o que coloca a Paraíba como o quinto estado brasileiro com a maior proporção de médicas. A média de idade dos médicos paraibanos é 47,5 anos, um pouco superior à média brasileira, que é 45,4.

                Quanto à quantidade de médicos, a Paraíba é o segundo estado do Nordeste com a maior proporção de profissionais por habitantes. O Estado tem uma média de 1,68 profissionais por mil habitantes. Ou seja, são 6.753 médicos para atender mais de 4 milhões de pessoas. No país, essa média é de 2,18 médicos por mil habitantes. No Nordeste, a maior proporção é em Pernambuco, com 1,73. Já nas Capitais, essa proporção cresce bastante. Em João Pessoa, são 5,12 médicos por mil habitantes.

                A Demografia Médica também quantificou dados sobre as Escolas de Medicina. Na Paraíba, são nove escolas, sendo três públicas e seis privadas. Juntas, oferecem 975 vagas por ano, uma média alta para um estado com 4 milhões de habitantes. Desta forma, na Paraíba há 24,2 vagas por 100 mil habitantes, enquanto que no país são 14,1 vagas por 100 mil habitantes. Das nove escolas paraibanas, quatro estão em João Pessoa e cinco no interior.




Assessoria