Linguagem
Cinema

Fest Aruanda institui Troféu Walfredo Rodriguez e divulga mostras competitivas

Em entrevista coletiva, equipe do festival conclama empresas e instituições a apoiarem o evento

Foto: divulgação
Pluralidade de gêneros e diversidade temática, estética e geográfica. Esse será o tom do 14º Fest Aruanda do Audiovisual Brasileiro. Em entrevista coletiva realizada na manhã desta quinta-feira (24), no Manaíra Shopping, a coordenação do evento instituiu o Troféu Walfredo Rodriguez, para personalidades que contribuíram para a história do cinema paraibano, e divulgou homenageados e títulos das mostras competitivas. O festival acontece entre os dias 28 de novembro e 4 de dezembro deste ano, no Cinépolis Manaíra Shopping, em João Pessoa, com patrocínio da Energisa (Usina Cultural) e do Armazém Paraíba (via Lei Federal de Incentivos, do Ministério da Cidadania) e chancela da UFPB.

Celebrando o centenário do cinema paraibano, cujo marco são as primeiras atividades cinematográficas realizadas na Paraíba, em 1919, pelo cineasta Walfredo Rodriguez, o Fest Aruanda pretende não apenas cultuar o diretor que iniciou a trajetória da Sétima Arte no estado, mas contribuir para que o seu legado seja cada vez mais reconhecido. “A edição 2019 do festival tem como principal homenageado o próprio cinema paraibano, cuja história está intrinsecamente ligada à de Walfredo Rodriguez, de quem queremos falar muito, a partir de agora”, diz o coordenador e diretor executivo do Fest Aruanda, o professor Lúcio Vilar.

Para ele, é preciso prestigiar o cinema nacional – em especial, o cinema com sotaque paraibano. Mas não somente o público deve se interessar e aprender mais sobre o mundo e a própria aldeia por meio do fazer cinematográfico; empresas e instituições, tanto públicas quanto privadas, também são chamadas para comungar desse mesmo ideal. “Conclamamos todos a apoiarem e fortalecerem esse evento, que é tão importante para o nosso cinema e a nossa cultura, de forma geral”, ressalta.

Os demais homenageados do evento serão o cineasta João Batista de Andrade, o ator e cantor Flávio Bauraqui, a atriz Ingrid Trigueiro, o cineasta Marcus Vilar, o músico e compositor Sivuca, o escritor José Bezerra e o escritor, cordelista, ator e artista plástico W. J. Solha – os dois últimos receberão o Troféu Walfredo Rodriguez de Contribuição Histórica ao Cinema Paraibano, pela produção do filme “O salário da morte” (1972), primeiro longa-metragem de ficção rodado em 35 milímetros na Paraíba. “No encerramento do evento, Sivuca terá uma homenagem póstuma, pelas trilhas sonoras que produziu. Neste dia, contaremos com a presença da sua viúva, a cantora e compositora Glorinha Gadelha”, antecipa Lúcio.


Mostra Competitiva de Curtas-metragens Paraibanos

“Seiva”, de Ramon Batista – Ficção (Nazarezinho)

“Bolha”, de Odécio Antônio e Taciano Valério – Ficção (João Pessoa)

“Faixa de Gaza”, de Lúcio César Fernandes – Ficção (João Pessoa)

“DNA-M Deus não acredita em máquinas”, de Ely Marques – Ficção (João Pessoa)

“Fim”, de Anna Diniz – Ficção (João Pessoa)

“Costureiras”, de Mailsa Passos, Rita Ribes e Virgínia de O. Silva – Documentário (João Pessoa, Coremas, São João do Cariri e Rio de Janeiro)

"Quitéria", de Tiago A. Neves – Ficção (Campina Grande)

"Brasil, Cuba", de Bertrand Lira e Arturo de la Garza – Documentário (João Pessoa)

"No Oco do Tempo", de Antonio Fargoni – Ficção (Cabeceiras)


Mostra Sob o Céu Nordestino

“Currais”, de David Aguiar e Sabina Colares (CE)

“Jackson – Na batida do pandeiro”, de Marcus Vilar/Cacá Teixeira (PB)

“O que os olhos não veem”, de Vania Perazzo (PB)

“Giocondo Dias, Ilustre Clandestino”, de Vladimir Carvalho (DF)

“Frei Damião, o santo do Nordeste”, de Debby Brennand (PE)

“Soldados da borracha”, de Wolney Oliveira (CE)


Programa de TV (Mostra de TVs Universitárias)

“Diálogos na USP” – Thales Figueiredo (TV USP, São Paulo, 2019, 59’)

“Desafios” – Luiz Roberto Serrano (TV USP, São Paulo, 2019, 29’)

“Mackenzie em Movimento” – Marcelo Dias (TV Mackenzie, São Paulo, 2019, 9’)

“TVT Entrevista 2019 – Crime Organizado” - Flávia Martelli (TV Unaerp, Ribeirão Preto-SP, 2019, 16’)

“TVT Entrevista 2019 – Estatuto do Desarmamento” – Flávia Martelli (TV Unaerp, Ribeirão Preto-SP, 2019, 18’)

Interprograma

“Mitos da Universidade Pública”, de Thales Figueiredo (TV USP, São Paulo, 2019, 1’)

“Simplifica!”, de Luiza Caires (TV USP, São Paulo, 2019, 5’)

“Drops do Conhecimento, de Brigadeiro” – Rafaela Pelozi (TV Mackenzie, São Paulo, 2018, 2’)

“Vênus Hip Hop”, de Flávia Martelli (TV Unaerp, Ribeirão Preto-SP, 2019, 4’)

“Direitos Humanos”, de Flávia Martelli (TV Unaerp, Ribeirão Preto-SP, 2019, 3’)


Reportagem

“Bruxas Paulistas no Brasil Colonial”, de Tabita Said (TV USP, São Paulo, 2019, 14’)

“Morte de Jovens Negros na Periferia”, de Tabita Said (TV USP, São Paulo, 2019, 11’)

“Alfabetização Pescadores”, de Adèle Oliveira (TVU RN, Natal-RN, 2018, 7’)

“Violência X Games”, de Laura Quadros (TV Mackenzie, São Paulo, 2018, 7’)

“Stalkers”, de Adriana Chiaradia (TV Mackenzie, São Paulo, 2019, 6’)

“Abandono Animais”, de Flávia Martelli (TV Unaerp, Ribeirão Preto-SP, 2019, 3’)

“Abelhas Agronegócio”, de Flávia Martelli (TV Unaerp, Ribeirão Preto-SP, 2019, 4’)


Documentário

“Ecos de 1968: 50 anos depois”, de Marcello Rollemberg (TV USP, São Paulo, 2019, 73’)

“Executivos negros”, de Thales Figueiredo (TV USP, São Paulo, 2019, 12’)

“Sobre Nós”, de Isabella Souza, Marcella Dal Sasso, Jéssica Gonçalves e Lais Joazeiro (TV Unifran, Franca-SP, 2018, 25’)

“Estrelas da noite”, de Carine Fiúza (TV UFPB, João Pessoa, 2018, 12’)

“A casa de Jajja”, de Adriana Chiaradia (TV Mackenzie, São Paulo, 2019, 6’)

“Origem das crises”, de Marcelo Dias (TV Mackenzie, São Paulo, 2019, 9’)

“Andrômaca”, de Flávia Martelli (TV Unaerp, Ribeirão Preto-SP, 2019, 12’)

“Ossos do Ofício”, de Flávia Martelli (TV Unaerp, Ribeirão Preto-SP, 2019, 11’)


Interprograma de animação/videografismo

“Emaranhamento Quântico: comportamento estranho das partículas”, de Ignacio Amigo (TV USP, São Paulo, 2018, 3‘)




Assessoria