Linguagem
Destaque

Hóspedes do Airbnb gastaram mais de R$ 1,8 bi em restaurantes e cafés do Brasil em 2018

Para este ano, a expectativa é crescimento de 46%, ampliando impacto econômico da comunidade

Com mais de 7 milhões de anúncios em 191 países, o Airbnb promove empoderamento econômico para milhões de anfitriões e um impacto econômico positivo nos bairros próximos às hospedagens, particularmente para o comércio local relacionado à gastronomia. É o que mostra uma pesquisa divulgada hoje pela plataforma, que aponta que os hóspedes do Airbnb gastaram mais de R$ 1,8 bilhão (US$ 513 milhões de dólares), em restaurantes e cafés do Brasil em 2018. Globalmente, esse o gasto chegou a US$ 25 bilhões em 46 países. 

Se o ritmo permanecer o mesmo, a expectativa para 2019 é que esse número ultrapasse R$ 2,8 bi (US$ 749 milhões de dólares) no mercado brasileiro, com um crescimento de 46% na comparação com o do ano passado, e US$ 30 bilhões no mundo (aumento de 20%).

A missão do Airbnb é contribuir para que as pessoas possam pertencer a qualquer lugar, com foco em criar uma plataforma que atenda às mais diversas necessidades de viagem. E, para muitos viajantes, pertencer significa vivenciar um lugar por meio de comidas e sabores locais, aprendendo, por exemplo, a cozinhar uma receita tradicional, ou descobrindo restaurantes e cafés da vizinhança, criando memórias autênticas e conexões com o destino.

Aspectos únicos da comunidade do Airbnb estão ajudando a impulsionar esse gasto dos turistas em novos lugares, criando conexões offline e mantendo os benefícios dentro da comunidade local, como mostra o estudo. 

No mundo, 84% dos anfitriões do Airbnb recomendam restaurantes e cafés para hóspedes, direcionando pessoas a visitar lugares que poderiam ser difíceis de encontrar online. 

Além disso, metade dos hóspedes afirma que gasta o dinheiro economizado com o Airbnb nos destinos visitados, multiplicando os benefícios econômicos na comunidade para além da plataforma. Em média, os hóspedes do Airbnb dizem que 42% dos seus gastos ocorrem nos bairros onde se hospedam, expandindo os benefícios econômicos de viajar fora das tradicionais áreas turísticas, onde as opções de acomodação costumam se concentrar. 77% dos hóspedes afirmam que vivenciar o local como um nativo é importante em sua decisão de usar o Airbnb.

O impacto positivo dos gastos dos hóspedes do Airbnb em restaurantes e cafés também é sentido em outras regiões do mundo, como na Europa (US$ 11 bilhões em 2018) e na Ásia (US$ 2,4 bilhões).



Assessoria