Linguagem
Turismo

Segmento de hospedagem e alimentação deve sofrer uma redução total de 50% por causa da pandemia

A previsão é do presidente do Sindicato das Empresas de Hospedagem e Alimentação de João Pessoa

Foto: divulgação
Com mais de mil demissões e queda superior a 80% no faturamento por causa da pandemia provocada pelo novo coronavírus, o setor de hospedagem e alimentação da capital pessoense deve ser reduzido pela metade. A previsão é do presidente do Sindicato das Empresas de Hospedagem e Alimentação de João Pessoa (SEHA-JP), Graco Parente.

“Estamos acompanhando de perto a situação do nosso setor. Cerca de 20% das empresas do segmento em João Pessoa já encerraram suas atividades e pelos nossos estudos mais 30%, principalmente bares e restaurantes, não conseguirão sobreviver no cenário atual quando reabrirem as portas. É uma realidade muito triste”, afirma Parente.

Paralisado desde março, o SEHA-JP defende que o segmento está preparado para voltar a funcionar, com os cuidados necessários para combater o contágio do Covid-19. De acordo com o sindicato, os bares, restaurantes, hotéis e pousadas já fizeram várias adaptações a fim de garantir a segurança no atendimento aos clientes na reabertura.

“Seguimos protocolos da Organização Mundial de Saúde (OMS) e de autoridades em saúde nacionais e internacionais para definir as medidas preventivas de cuidado e higiene. O setor está bem orientado e preparado para voltar com a consciência de que a prioridade absoluta é a saúde dos clientes, colaboradores e fornecedores”, esclarece Parente, presidente do SEHA-JP. 

Para o SEHA-JP, o retorno imediato é fundamental para que o segmento não seja ainda mais prejudicado e para garantir a manutenção dos empregos do setor. Além disso, o sindicato defende que a alimentação fora do lar muitas vezes é uma opção para quem trabalha longe de casa e precisa fazer refeições em restaurantes ou bares, por isso acaba sendo também uma prestação de serviço indispensável para parte da população.




Assessoria