Linguagem
Novo e Velho Mundo

Vinhos podem ser o passaporte da viagem pelo mundo durante a pandemia

Sommelier da Grand Cru João Pessoa conta um pouco sobre características de uvas

Foto: divulgação
Durante a pandemia, com as viagens canceladas e os passeios desmarcados, os vinhos podem proporcionar, não apenas um momento prazeroso, mas um passeio pelo mundo e pelas mais variadas culturas. Desde as primeiras produções, eles sempre foram lotados de identidade cultural, afinal, como fazer uma viagem para a Itália, Portugal, Chile e Argentina, por exemplo, sem retornar com um bom vinho nacional? Diante do isolamento social, esta  é uma boa maneira de visitar diversos países é experimentando um pouquinho deles.

“A cada dia, os vinhos têm se popularizado mais, e as pessoas entenderam que existem opções para os mais variados gostos. Hoje vemos a galera jovem trocando muitas vezes a cerveja por vinho, e isso é maravilhoso”, disse Manoel Vieira, sommelier da Grand Cru Cabo Branco. Para ele, a ocasião que faz um bom vinho, e, é claro, o paladar do consumidor. 

Os países destaques na produção das bebidas, são a Itália e Portugal, na Europa, ainda que cada um com suas especificidades. “Ambos os países possuem vinhos fáceis, e pode ser bem prazeroso viajar entre os rótulos. Na Itália, encontramos preços acessíveis e vinhos descomplicados, de qualidade e excelente custo benefício. Já em Portugal, temos uma carta bem maior, onde eles são bons gostos e os valores também são agradáveis”, explicou. Juntamente com a França e a Espanha, eles formam o grupo dos países do Velho Mundo. Costumam destacar em seus rótulos, a região onde a produção foi feita, algo que é muito valorizado como uma verdadeira identidade cultural.

Na parte Sul-americana, são destaques o Chile e Argentina. “Nesses países, encontramos um bom Cabernet Sauvignon e Carmenere, uvas bastante tradicionais. "Tem também os Malbec, na Argentina, que são maravilhosos, para todos os gostos”, afirmou Manoel. Austrália, Estados Unidos, África do Sul e Brasil, eles fazem parte do Novo Mundo, com vinhos fáceis, descontraídos e sem muita guarda. “Eu vejo muito a atual tendência no mercado atrelada aos vinhos democráticos, que agradam muita gente, como os primitivos da Itália, que são mais frutados e menos rascante, justamente por serem mais tranquilos.  Eu diria que a uva tendência é a Cabernet Franc, por ser fácil, frutada, com acidez mediana”, explicou o sommelier.

Uma sugestão de vinho é o Zuccardi Q, um Tinto Malbec, frutado, encorpado, equilibrado, com aroma intenso de frutas vermelhas e flores, como rosa e violeta, além de toques de ervas. Ele se comporta no paladar como macio e sedoso, tem boa estrutura e acidez o que proporciona frescor. Para harmonizar,  uma deliciosa picanha assada em crosta de sal grosso, por exemplo, ou polpettone com cogumelo portobello recheado e queijos.

Entrega em casa - De segunda a sábado, a Grand Cru João Pessoas pode proporcionar este passeio pelo mundo com pedidos delivey, entregando em casa os melhoresrótulos do mundo. Todas as entregas são realizadas com toda praticidade e higiene, conforme recomendações da Organização Mundial de Saúde. Em João Pessoa, as entregas são gratuitas para pedidos a partir de R$150. Para mais informações, o telefone para contato é o (83) 98618-4417. No instagram, @grandcru_joaopessoa .




assessoria