Linguagem
Destaque

Chip nas roupas? Hospitais da Unimed JP estão cada vez mais tecnológicos

O monitoramento das peças é feito via sistema de radiofrequência chamado de RFID

Foto: divulgação
Quando falamos em tecnologia usada em um hospital, pensamos logo em modernos equipamentos de respiração ou em tomógrafos e ressonância. Mas a inteligência artificial pode ser usada para outros fins, como monitorar roupas usadas pelos pacientes em unidades hospitalares. E isso também é muito importante para a segurança, bem-estar e saúde dos atendidos.

Lençóis, toalhas, tapetes de banheiro, batas, roupas adequadas para o centro cirúrgico... Tudo isso é chamado de enxoval hospitalar. E, assim como uma mãe trata com bastante cuidado o enxoval do bebê antes e após o nascimento, o hospital também tem essa preocupação com as roupas dos pacientes. As peças têm que estar higienizadas e desinfectadas para que a próxima pessoa possa usar com toda a segurança.

Mas como fazer esse controle? Uma das formas de garantir que o enxoval hospitalar passe por todas as etapas e esteja apto é usar um chip de identificação. Essa tecnologia, aliada a um programa de computador, tem a capacidade de mostrar os caminhos percorridos pela peça, quando ela foi higienizada e até quantas vezes foi usada em um único mês.

Como funciona - E cada vez mais tecnológicos e inovadores, os hospitais Alberto Urquiza Wanderley e Moacir Dantas, unidades próprias da Unimed João Pessoa, instalaram chips de identificação no enxoval hospitalar. O monitoramento das peças é feito via sistema de radiofrequência chamado de RFID, cuja sigla vem do inglês Radio Frequency Identification. Essa tecnologia torna mais ágil e seguro o acompanhamento de cada peça que vai para a lavagem. No momento em que passam pelos sensores, esses materiais são identificados automaticamente, sem que os profissionais de saúde necessitem manipulá-los.

Padrões - A correta higienização do enxoval garante que o uso pelos pacientes pode ser feito de forma segura. Por isso, antes mesmo de ser encaminhado para a lavanderia, eles são separados. Todas as peças são lavadas em túneis especiais, com dosagem adequada de produtos para cada tipo de peça e alta temperatura. Os hospitais Alberto Urquiza Wanderley e Moacir Dantas seguem padrões de limpeza e organização que obedecem parâmetros rígidos. São respeitadas normas e regulamentações nacionais e internacionais, como as estabelecidas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e pala Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).



Assessoria