Linguagem
Destaque

Na contramão da pandemia, empresa paraibana cria estratégia de nacionalização da marca

A aposta, ousada para muitos empreendedores, vem dando certo

Foto: divulgação
Uma empresa, do ramo da moda em João Pessoa, com mais de 20 anos de mercado, assumiu um desafio neste período de pandemia e criou algumas estratégias com objetivo de nacionalizar a marca, indo na contramão dos mais pessimistas. A loja flexibilizou valores de cadastro, implementou sistema de delivery, intensificou a distribuição de brindes, passou a investir em produção fotográfica, conteúdos em vídeo, divulgação com influenciadores digitais e fez até pocket show para lançamento de uma plataforma digital. A aposta, ousada para muitos empreendedores, vem dando certo.

A @sereiapraia surgiu como ideia de Suênia Brandão, apoiada pelo esposo Ednaldo Araújo. Hoje, conta também com a participação dos filhos Ohana e Lucas Brandão. Juntos, decidiram enfrentar os obstáculos impostos pela crise ocasionada em decorrência do novo coronavírus e investiram nos canais digitais de comunicação com o cliente. “O e-commerce surgiu como meio fundamental para atender clientes fora da nossa região, incrementando a nossa atuação em outros estados. Também reaprendemos a lidar com a demanda do varejo local, tirando dúvidas sobre disponibilidade e valores, que eram as mais frequentes nas redes sociais da empresa”, contou Ohana.

“O nosso site foi implementado como uma aposta a médio prazo, porém o resultado das primeiras semanas foi tão positivo que estamos otimistas para a sequência do projeto”, complementou a empresária, que conta com o apoio da PBSoft, uma empresa especializada, para aplicação do melhor direcionamento digital. “O mercado virtual vem se tornando, cada vez mais, forte nas transações comerciais e, mesmo com a retomada do comércio presencial, continuará em crescimento”, explicou o diretor-executivo Tarcísio Júnior.

De agosto de 2019 até agosto 2020, o número de lojas virtuais no Brasil cresceu 40,7%. O e-commerce superou a marca de 1,3 milhão de sites, incentivado pela pandemia que fez com que empreendedores recorressem à internet para continuar vendendo ou gerar novas fontes de renda. Essa é a maior aceleração do setor desde que a pesquisa foi iniciada, em 2015. No ano passado, o Brasil tinha 930 mil lojas online.

O crescimento foi registrados na 6ª edição do "Perfil do E-commerce Brasileiro", pesquisa realizada anualmente pelo PayPal, plataforma de pagamentos digitais, em parceria com a Big Data Corp.




Assessoria