Linguagem
Balanço positivo

Produção de café alcança recorde histórico em 2020

A expectativa é de a produção atingir 63,08 milhões de sacas beneficiadas de café arábica e conilon.

Foto: Divulgação
A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) informou que o Brasil deve encerrar o ano com uma safra recorde de café. A estimativa faz parte do quarto levantamento da safra de café de 2020.

A expectativa é de a produção atingir 63,08 milhões de sacas beneficiadas de café arábica e conilon.  A produção representa um aumento de 27,9% em relação a 2019 e de 2,3% sobre o recorde anterior, que foi de 61,7 milhões de sacas atingido em 2018, como revela o levantamento da Conab.

O registro da “maior safra de café da história” pode ser o estímulo necessário para que o produtor invista na compra de agromáquinas, insumos e, até mesmo, aumente a oferta de postos de trabalho com mão de obra qualificada para atuar nas lavouras.

Mas investimento nem sempre implica despender grande volume de recursos no orçamento do produtor do campo. É possível adquirir insumos com preços que agradam ao bolso do empreendedor. Basta investir em equipamentos, como um pulverizador ou trator a venda usado.

De acordo com a Conab, além da bienalidade positiva do café arábica, o clima contribuiu para o desenvolvimento das lavouras. “A produção do grão superou a de 2018, chegando a 48,77 milhões de sacas. Em relação ao ano passado, o aumento é de 42,2%. Já o conilon, com produção estimada em 14,31 milhões de sacas, não teve o mesmo desempenho. O volume foi 4,7% menor do que o obtido na safra anterior. Esse desempenho menos expressivo pode ser atribuído às poucas chuvas no Espírito Santo – principal estado produtor da variedade”, pontua.

A companhia também informou que Minas Gerais é o estado com a maior estimativa para a produção de café, com 34,65 milhões de sacas. Esse volume é 41,1% maior do que o obtido em 2019. O carro-chefe da produção mineira é o café arábica, que responde por mais de 90% do produto do estado.

Na sequência está o Espírito Santo, que produziu 13,96 milhões de sacas ao longo do ano. Na comparação com 2019, a safra apresenta uma redução de 12,41%. Foram 9,19 milhões de sacas de conilon e 4,77 milhões de sacas de arábica. Para fechar o pódio, São Paulo chega com 6,18 milhões de sacas, o que representa um aumento de 42,4% em relação ao ano passado.




da Redação
da Redação