Linguagem
Ano novo

Negócios ligados à saúde, logística e alimentação devem continuar em alta em 2021

Gerente do Sebrae Paraíba elenca tendências e destaca potencial do e-commerce

Foto: Rosa Agauir
Depois de um 2020 marcado por rupturas econômicas e sociais, que resultaram em uma série de desafios para os empreendedores brasileiros, o mercado já se prepara para um novo ano, em busca de ampliar as conquistas de 2020 ou de superar as adversidades trazidas pela pandemia do coronavírus. Para auxiliar os empresários nesse momento de reflexão e planejamento, o Sebrae Paraíba elencou alguns segmentos que, conforme as perspectivas do mercado, deverão estar em alta em 2021. 

De acordo com a gerente da unidade de gestão estratégica e monitoramento do Sebrae Paraíba, Ivani Costa, a expectativa de que a vacinação contra o coronavírus, já iniciada em alguns países, seja massificada em 2021 traz boas perspectivas gerais para o mercado. “Com a perspectiva do plano de imunização contra a Covid-19 nos primeiros meses de 2021, a expectativa é que as empresas ganhem algum fôlego, principalmente em segmentos que apresentem risco de contaminação de baixo a moderado”, explicou. 

Já em relação aos segmentos que devem ser uma tendência em 2021, a gerente do Sebrae Paraíba afirmou que negócios que atuam em áreas como saúde e logística devem permanecer em alta. “Os segmentos ligados à saúde, higiene e sanitização continuarão em alta, junto com os segmentos que estejam ligados à logística de transporte e delivery”, declarou. 

Além destes, outros negócios que devem ser tendência em 2021 são aqueles relacionados com o setor de alimentação ou com cuidados domésticos. “Atividades ligadas à fabricação e comercialização de embalagens, serviços de manutenção doméstica e reparos tendem a ganhar mais força. Os hortifrutigranjeiros, minimercados e comércios de bairro também assumem ainda mais o seu papel de alta relevância, dado o comportamento do consumidor de evitar empreendimentos que gerem aglomeração”, pontuou a gerente. 

Ainda falando sobre as perspectivas para 2021, ela também chamou atenção para o potencial do e-commerce durante o ano que se aproxima. “2021 tem tudo para ser o ano do e-commerce nos pequenos negócios, uma vez que estas empresas alcançaram um melhor nível de maturidade em sua operação ao longo do segundo semestre de 2020”, concluiu Ivani Costa.




assessoria