Linguagem
Em meio a pandemia

Motoristas de aplicativos e fornecimento de alimentos foram atividades que mais registraram aberturas de MEIs em 2020

Levantamento feito pelo Sebrae aponta que o comércio varejista de bebidas também experimentou aumento

Foto: Pixabay
Com 58 mil novos registros de microempreendedores individuais (MEIs) na categoria “Outras atividades auxiliares dos transportes terrestres não especificadas anteriormente” em 2020 em todo o país, classificação que engloba os motoristas autônomos constituídos como empresas e é geralmente utilizada pelos motoristas de aplicativos, a atividade registrou evolução de 86% em comparação ao número de aberturas de MEIs na mesma categoria ano anterior. Os dados, levantados pelo Sebrae e divulgados por meio do relatório Observatório MPE, revelam as 20 atividades que mais tiveram abertura por microempreendedores individuais no ano passado no Brasil.

Outra atividade que obteve grande evolução em termos de aberturas de MEIs em 2020 foi a “Restaurante e similares”, que contou com 74,6 mil novos registros de microempreendedores individuais e taxa de crescimento de 59% em comparação ao ano anterior. Em seguida, conforme o estudo, aparece a categoria “Fornecimento de alimentos preparados preponderante para consumo familiar”, com 106,1 mil MEIs abertos e crescimento de 47,9% em relação ao ano anterior. Integram essas atividades o fornecimento de marmitex, cantinas privadas, delivery e serviços de bufê.

O relatório apontou, ainda, uma alta de 41% nos registros de abertura de MEIs na categoria “Comércio varejista de bebidas”, passando de 38,1 mil em 2019 para 58,8 mil em 2020. De acordo com análise do estudo, o consumo de bebidas aumentou entre a população em associação à alta dos fornecimentos de alimentação, principalmente devido a pandemia do coronavírus (Covid-19) e ao isolamento social.

Para a analista técnica do Sebrae Paraíba, Germana Espínola, além do avanço da pandemia e de suas consequências na vida prática da população, o alto índice de desemprego em 2020 foi responsável, também, pelo grande aumento na abertura de novos negócios como alternativa de renda. “Desta forma, a opção pelo empreendedorismo foi mais por necessidade, não por uma vocação do empresário. A pandemia fez aumentar o consumo de produtos e serviços nas residências e, com a perda do emprego e a ajuda do auxílio emergencial, alguns empreendedores perceberam a oportunidade de empreender e, portanto, começaram a abrir negócios, especialmente voltados para os ramos da alimentação e transporte alternativo”, avaliou.

Novos MEIs em 2020 – Na Paraíba, houve, de modo geral, o crescimento do número de microempreendedores individuais (MEI) entre o final dos anos de 2019 e 2020. Segundo os dados da Receita Federal, em 31 de dezembro de 2019 o estado contava com 130.102 MEIs optantes do Simples Nacional, número que em 31 de dezembro de 2020 passou a ser de 153.806, o que corresponde a um aumento de 18,2% em um ano. Por sua vez, o Brasil, que registrou mais de 11,3 milhões de novos MEIs em 2020, teve incremento de 20% no número de aberturas de microempreendedores individuais em relação ao ano anterior.




Assessoria