Linguagem
Tecnologia

Agências e marcas querem ampliar investimentos no digital

Pesquisa aponta maior interesse do mercado pelo meio após as transformações aceleradas pela pandemia

Foto: Pixabay
Apesar dos impactos que a Covid-19 trouxe para praticamente todas as esferas econômicas do Brasil, a aceleração do comportamento digital das pessoas e do uso do meio para atividades de consumo, educação e entretenimento, por exemplo, leva o mercado publicitário a querer ampliar os investimentos nesse meio neste ano.

A conclusão é da segunda edição de uma pesquisa promovida pelo Interactive Advertising Bureau (IAB-Brasil) em parceria com a Nielsen com a proposta de mensurar os efeitos da pandemia no mercado de publicidade e mídia do Brasil. Para o levantamento foram entrevistados cerca de 167 profissionais de anunciantes, agências, adtechs, veículos e outras empresas do segmento, sendo que 52% dos respondentes ocupam cargos de gestão.

Um dado que a pesquisa deixou evidente é a da priorização do digital na definição das verbas de publicidade: 63% dos entrevistados que efetuam compra de mídia declaram que investem mais da metade das verbas para os meios digitais. Entre esse grupo, 20% afirmou que destina ao digital 80% de todo seu budget.

A pesquisa foi realizada entre os meses de novembro e dezembro do ano passado, quando a pandemia ainda não havia retornado à fase aguda que atualmente atravessa no Brasil. Na época, a visão dos profissionais entrevistados pela pesquisa era otimista em relação ao futuro dos negócio: 33% dos pesquisados disseram, na época, que o ritmo já havia retornado ao mesmo de antes da pandemia e 26% acreditavam que o período mais crítico da crise havia passado.

Em relação especificamente à publicidade digital, boa parte dos anunciantes crê na contínua valorização da importância do meio: 46% afirmaram que os investimentos feitos nos canais digitais ao longo de 2020 tiveram mais importância do que os realizados em veículos tradicionais. Metade dos pesquisados (50%) apontam que a importância da publicidade digital se manterá a mesma neste ano. Considerando a fatia dos respondentes de agências e anunciantes que atuam na compra de mídia, 45% declararam que pretendem ampliar os investimentos em digital em 2021.

Já em relação aos formatos digitais, as principais apostas de investimentos em publicidade em 2021 são vídeo, social media e search (sendo cada um deles citado por 27% dos entrevistados; streamings, áudios e podcasts (lembrados por 23%), seguido de native advertising e display (18% cada); OTT e TV conectada (13%) e e-mail (5%).

Ainda em relação aos formatos, é notável o maior interesse das agências e anunciantes compradores de mídia de em alguns deles de um ano para o outro. Em abril de 2020, na primeira edição da pesquisa, somente 4% dos respondentes disseram que a tinha a pretensão de ampliar os investimentos em streaming, áudios e podcasts ao longo do ano; agora, já são 27% os que querem fazer essa ampliação de investimento em 2021.O interesse por native advertising também deu um salto: eram 4% os que pretendiam investir no formato em abril do ano passado e, para este ano, são 18%. Veja:




Meio e Mensagem