Linguagem
Bem estar

Alimentação balanceada previne o envelhecimento precoce e ajuda a ter longevidade

Nutricionista da Unimed João Pessoa, explica o que consumir e quais alimentos evitar para viver mais e melhor

Foto: divulgação
Aprender sobre alimentação é crucial para fugir da cultura de que é normal ter doenças e tomar remédios. Para orientar os beneficiários a viver mais e com qualidade de vida, a Unimed João Pessoa vai realizar no dia 19 de abril, das 14h30 às 16h, a oficina “Nutrição e Longevidade”. A atividade é on-line, gratuita e exclusiva para clientes da Cooperativa.

A nutricionista Jéssica Lisboa, da equipe de promoção da saúde da Unimed João Pessoa, explica que o envelhecimento ocorre de maneira particular para cada indivíduo e que os hábitos alimentares, ao longo do tempo, contribuem para a qualidade de vida nesse processo.

Segundo ela, que vai ministrar a oficina, alimentos in natura e minimamente processados contribuem para uma maior longevidade. “Assim, deixamos de fornecer recursos que geram inflamação e estresse oxidativos nas células, evitando os principais responsáveis por desencadear problemas de saúde”, explica. “Uma boa alimentação garante menos dano celular, o que dificulta ou retarda os genes que causam enfermidades”, lembra.

Além da má nutrição, estresse, sedentarismo, abuso de álcool e cigarro são alguns dos fatores que provocam o envelhecimento precoce. “Hábitos saudáveis evitam a necessidade de excesso de medicações e ajudam a chegar até uma idade avançada de forma lúcida e bem para realizar as atividades da vida diária e exercícios sem o auxílio de outra pessoa”, reforça Jéssica Lisboa.

Equilíbrio - A nutricionista destaca que é importante se organizar de modo que as refeições sejam compostas por alimentos saudáveis, horários definidos e sem porções exageradas. “É importante consumir de 4 a 5 porções de frutas ao dia, vegetais crus e cozidos e ingerir ao menos dois litros de água. Produtos que vêm da terra e não sofrem tantas modificações pela indústria alimentícia como feijões, batata-doce, inhame, cará, macaxeira, grãos integrais, alimentos com fibras (chia, linhaça, aveia em flocos grossos ou farelos) também são indicados”, exemplifica Jéssica Lisboa.

Equilíbrio é indispensável, aponta a nutricionista, que admite exceções que fazem parte da vida social. “Costumo sugerir 1 a 2 refeições livres no fim de semana, ou seja, comer o que a pessoa acha gostoso em festa, aniversário, almoço com família ou jantar com companheiro, por exemplo”, orienta.

Vilões - Excesso de gorduras saturadas e trans, açúcares refinados, sódio e aditivos alimentares - corante, acidulantes, aromatizantes, entre outros - são inimigos das células do organismo. “De acordo com estudos da Organização Mundial da Saúde (OMS), nosso organismo processa apenas até 50g de açúcar, 2.400 mg de sódio e até 2% de gorduras trans da recomendação diária”, alerta Jéssica.

Por conta disso, embutidos como salames, mortadela, linguiça e salsicha, bolos, doces, molhos processados, enlatados em conserva de salmoura, bebidas açucaradas, farinhas, pães, bolachas e outros devem ser evitados devido ao excesso desses componentes que extrapolam as recomendações diárias. Além disso, quando consumidos frequentemente desencadeiam diversas patologias.

Como participar da oficina - Para se inscrever gratuitamente, basta acessar o Canal Viver Melhor, no Portal da Unimed João Pessoa , e escolher a oficina “Nutrição e Longevidade”.

Ao se inscrever, o cliente vai ser inserido em um grupo de WhatsApp, onde receberá todas as instruções para participar. Na seção, também é possível conferir outras oficinas gratuitas que são oferecidas pela Unimed João Pessoa no mês de abril. Todas as atividades são exclusivas para clientes.




assessoria