Please assign a menu to the primary menu location under menu

Pacientes da Unimed João Pessoa recebem terapias inovadoras no combate à covid-19

O Hospital Alberto Urquiza Wanderley, unidade própria da Unimed João Pessoa, está sempre em busca de terapias inovadoras para cuidar dos seus clientes. Desde o início da pandemia de covid-19, o hospital oferece alternativas para um tratamento assertivo e seguro. Em junho, os pacientes começaram a contar com um procedimento inédito no Estado: a tomografia por bioimpedância elétrica, que permite a visualização dos melhores parâmetros respiratórios sem a necessidade de deslocar o doente do leito.

O coordenador do Núcleo Estratégico de Enfrentamento à Covid-19 da Unimed JP, Petrúcio Sarmento, afirmou que a Cooperativa tem se destacado pela inovação e tecnológica usadas no tratamento da covid-19. “Oferecemos, com orgulho, todas as terapias e equipamentos disponíveis nos centros mais avançados”, disse.

O médico explicou que a inovação não é só com a tomografia por bioimpedância elétrica, é também no uso de plasma recuperado e do cateter nasal de alto fluxo. “Sempre pensando em uma recuperação mais rápida e no bem-estar do nosso paciente”, afirmou.

A tomografia por bioimpedância elétrica é uma técnica moderna, e o Hospital Alberto Urquiza – referência no tratamento da covid-19 para a rede credenciada da Cooperativa – é um dos poucos hospitais do Nordeste a contar com um aparelho como este. A técnica é uma alternativa eficaz para monitorar de forma contínua pacientes entubados em unidades de terapia intensiva.“Esse método oferece resultados em tempo real, de forma dinâmica e contínua e sem que haja a necessidade de retirar o paciente do leito. Com isso, podemos fazer ajustes de forma minuciosa para que o pulmão respire o melhor possível”, explicou o anestesiologista Gilvandro Lins, que integra a equipe do Núcleo Estratégico de Enfrentamento à Covid-19 da Unimed JP.

O método age de forma benéfica diretamente durante o tratamento do paciente, mas tem outras vantagens, com o uso da tomografia por bioimpedância elétrica há a diminuição da incidência de lesões pulmonares associados ao ventilador.

Terapias inovadoras – Além da tomografia por bioimpedância elétrica, a Unimed João Pessoa está proporcionando aos seus pacientes outras técnicas de terapia inovadoras, como a infusão de plasma convalescente e o uso do cateter nasal de alto fluxo.

Em um mês e meio foram mais de 20 pacientes que usaram a infusão do plasma recuperado como parte do tratamento de covid-19. “Ainda precisamos de mais estudos, mas os desfechos estão sendo bastante satisfatórios”, adiantou Gilvandro Lins.

A técnica de fisioterapia que utiliza cateter nasal de alto fluxo é um tipo de oxigenoterapia feita de forma não invasiva, no próprio apartamento, deixando o paciente mais confortável do que quando usa máscaras e capacetes. É uma tentativa de os pacientes com a doença não evoluírem para intubação, e de proporcionar uma recuperação mais rápida.

As estratégias combate a covid-19 foram criadas com a finalidade de proteger e aumentar a segurança tanto dos clientes quanto dos profissionais que estão no atendimento.“Temos o duplo fluxo de pacientes, com áreas destinadas ao tratamento dessa doença, mas também de outras patologias”, explicou Petrúcio Sarmento.

Desde o aparecimento do primeiro caso suspeito no Brasil, os profissionais do Hospital Alberto Urquiza estão recebendo treinamentos e tendo acesso a protocolos e fluxos que fazem com que o atendimento seja rápido, resolutivo e seguro. Todos têm como base os trabalhos científicos e orientações de órgãos de saúde nacionais e internacionais, como o Ministério da Saúde e a Organização Mundial da Saúde (OMS).