Please assign a menu to the primary menu location under menu

Pandemia da COVID-19 impulsiona quantidade de presentes virtuais para o Natal de 2020

A chegada do fim de ano, carrega datas que movimentam o comércio, como a Black Friday e o Natal. As compras digitais vêm ganhando cada vez mais espaço durante este período e, devido à pandemia da Covid-19, este ano, as pessoas pretendem comprar ainda mais sem sair de casa e dar ”presentes virtuais”.

Segundo um levantamento feito pela VISA, 54% dos entrevistados disseram que farão suas compras de Natal pela internet. 59% pretendem comprar os intitulados “presentes digitais”, como vales-presentes que podem ser utilizados em e-commerces e cartões que oferecem crédito para compra de serviços online, tipo os “acessórios” e “vidas” em jogos digitais ou períodos de acesso a serviços de streaming como a Netflix ou plataforma de música como o Spotify.

A pesquisa mostrou que além do aumento das compras no ambiente digital, as pessoas também pretendem apoiar o comércio de bairro, sendo 58% o número de consumidores que comprarão de forma presencial ou online nos arredores.

O levantamento feito pela VISA mapeou que 83% dos micros e pequenos empreendedores afirmam estarem preparados para enfrentar o aumento de vendas durante este período. Desse total, 32% irão estender seu horário de atendimento, 29% digitalizarão parte de suas operações comerciais, 26% irão investir na estrutura da empresa e 18% garantem contratar mais pessoas.

Vendas pela internet estão em alta

Mesmo com a retomada gradual do comércio e das lojas, as compras online continuam em alta e rendeu um faturamento de R$ 33,4 bilhões de reais no terceiro trimestre deste ano. O comércio eletrônico registrou um aumento de 85,1%, comparado ao mesmo período de 2019, segundo a Neotrust / Compre & Confie, empresa de inteligência de mercado com foco no e-commerce.

De acordo com a Ebit Nielsen, empresa de medição e análise de dados, as vendas pela internet devem crescer em 27% na Black Friday deste ano, comparado ao mesmo período de 2019. Se as expectativas forem alcançadas, o resultado impulsionará em 38% a performance do e-commerce para o ano de 2020.