Please assign a menu to the primary menu location under menu

Confira o que mudou no desejo de compra da Black Friday

A pandemia alterou os desejos de consumo do brasileiro na Black Friday. Em vez de passagens áreas, as pessoas querem comprar smartphones, notebooks e consumidores, segundo pesquisa Mapa de Desejos, realizada pela Orbit Data Science a partir de 12 mil publicações de brasileiros nas redes sociais (Instagram, Facebook e Twitter).

Influência do trabalho e estudo remoto

O trabalho e estudo remoto explicam o interesse dos brasileiros por itens como notebooks, celulares, monitores e fones de ouvido.

De acordo com o estudo, os notebooks tiveram a maior taxa de crescimento de intenção de compra, saindo de 2,73%, em 2019, para 5,29% de todos os produtos cobiçados. Comportamento parecido tiveram os comentários que mencionaram o termo mais genérico “computador”, que subiram de uma relevância de 3,87%, em 2019, para 5,69% esse ano.

Outros eletrônicos relacionados a trabalho remoto também se destacam em 2020. Exemplos disso são, fones de ouvido (de 0,79% para 1,36%), monitores (de 0,85% para 1,28%) e “headsets” (de 0,11% para 0,56%).

Isolamento social

O isolamento social e o medo de uma segunda onda de coronavírus reduziram a intenção de compra de itens como passagens aéreas, ingressos para show e planos de academia.

“Por outro lado, eletrônicos de uso doméstico, como notebook e computadores, além de mesas e cadeiras, puxam o crescimento das intenções de compra de uma Black Friday que tem tudo para ser a maior da história do varejo brasileiro”, diz o CEO da Orbit Data Science, Caio Simi.