Sebrae Paraíba e Fórum de Turismo Vale dos Sertões discutirão implantação de rota de ciclismo

Aliar o turismo de aventura à sustentabilidade para desenvolver o turismo regional no Sertão paraibano. Esta é a proposta que será discutida nesta quinta-feira (25), durante reunião online organizada pelo Sebrae Paraíba e o Fórum de Turismo Vale dos Sertões. Na ocasião, representantes das instituições, prefeitos e empresários, bem como integrantes do setor cultural e ciclistas da região, terão a oportunidade de debater a implantação da Rota de Ciclismo Vale dos Sertões. 

De acordo com a gestora de turismo e economia criativa do Sebrae Paraíba, Regina Amorim, trata-se de um projeto turístico estruturante para o Sertão, que contempla o turismo de aventura e segue o exemplo da Rota de Ciclismo do Vale Europeu, em Santa Catarina. Conforme relatou, é uma tendência que tem evoluído na medida em que cada vez mais ciclistas, sozinhos ou em grupos, percorrem quilômetros, em ciclo viagens, pelas regiões do Brasil. 

“A Rota de Ciclismo Vale dos Sertões será a primeira rota de cicloturismo do Nordeste. A ideia é que ela percorra vários municípios, iniciando ou terminando em Santa Luzia, e passando pelas cidades de Água Branca, Ibiara, Pedra Branca, Matureia, Princesa Isabel, Santana dos Garrotes, Pombal e São Bento. O Fórum de Turismo Vale dos Sertões já realizou um seminário online em outubro 2020 sobre as melhores experiências de rotas de ciclismo e cicloturismo do Brasil. Também foi realizada uma reunião com a participação do diretor de Observatório de Cicloturismo do Brasil, Luiz Saldanha, que será um parceiro importante na implantação do projeto”, enfatizou Regina Amorim. 

A gestora afirmou, também, que a Rota de Ciclismo Vale dos Sertões será um divisor de águas para a transformação turística regional. “O momento é propício para repensar novos modelos sociais e econômicos, ambiental, científico, político e de como nos relacionamos. O cicloturismo se mostra um grande aliado da sustentabilidade, já que visa reduzir os impactos negativos na localidade. Porém, é capaz de atrair turistas e, consequentemente, movimentar a economia e possibilitar o desenvolvimento local sustentável”, ressaltou. 

Outras ações que serão discutidas durante a reunião são a construção da ciclovia e a sua localização; geoprocessamento para a elaboração de mapas; mapeamento de pontos de partida e o incentivo à construção de pousadas e restaurantes; entre outras. “O Sebrae também será parceiro para formatação da Rota de Ciclismo, junto aos pequenos negócios e empreendedores culturais da região. É preciso entender que o desenvolvimento do turismo se faz com a parceria público-privada, com políticas de promoção e apoio ao turismo, à cultura e aos empresários, e com política adequada à proteção e preservação do patrimônio histórico, cultural e ambiental”, finalizou Regina Amorim.