Sebrae promove evento para integrar agentes de desenvolvimento do Agreste paraibano

Articular e contribuir para a elaboração e implantação de iniciativas e políticas públicas que resultem no fortalecimento dos pequenos negócios e na criação de um ambiente econômico a eles favorável. Essa é a missão do agente de desenvolvimento, profissional que atua na administração pública municipal, cujo trabalho é fundamental para o estímulo e a valorização do empreendedorismo e das micro e pequenas empresas. Por essa razão, considerando a importância dos agentes para os pequenos negócios, o Sebrae Paraíba tem promovido uma série de encontros com o objetivo de integrar esses profissionais e auxiliá-los em sua missão.  

Dentro desta programação, na próxima quarta-feira (10) será realizado um evento virtual para os agentes de desenvolvimento que atuam em cidades do Agreste paraibano. Com programação gratuita, o encontro será realizado entre 9h e 10h30, através de uma plataforma de videoconferência. As inscrições podem ser efetuadas por meio do formulário https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdaX0YEPwrKMcuAsQvAevcpdjT3oek1EF42_fdn7jiv4VoKsQ/viewform.  

De acordo com a analista técnica do Sebrae Paraíba, Nelijane Ricarte, a proposta deste encontro é compartilhar experiências, informações importantes sobre o universo do empreendedorismo, esclarecer dúvidas e integrar os profissionais. “O nosso objetivo ao promover o encontro é contribuir para a integração dos agentes e para fortalecer a rede de profissionais, trazendo experiências exitosas e compartilhando conhecimento”, pontuou.  

Ainda conforme a analista, além da apresentação de iniciativas exitosas desenvolvidas por agentes de desenvolvimento em municípios paraibanos, o encontro desta quarta-feira também vai contar com uma palestra sobre a modalidade de licitação pregão eletrônico, que, conforme instrução normativa, passou a ser obrigatória em determinados processos municipais.  

“Trata-se de uma instrução normativa de outubro de 2019, que estabeleceu prazos, em situações específicas, para os municípios se adaptarem ao processo de pregão eletrônico”, explicou Nelijane, ao pontuar que, com o fim dos prazos fixados, os municípios que ainda não se adequaram precisam seguir o que determina a normativa.