Estácio lança novo curso de graduação digital em Psicopedagogia

A Estácio acaba de lançar o curso de graduação digital em Psicopedagogia, com duração de 4 anos (8 períodos). Ele foi criado após divulgação do Censo da Educação Básica – 2018 – do INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa Educacionais Anísio Teixeira), que registrou 27,2 milhões de matrículas no ensino fundamental, considerando que 5% da população escolar pode desenvolver alguma dificuldade na aprendizagem, o que corresponde um número de 1,36 milhões, distribuídas por todo o país. Neste sentido, o curso traz em seu bojo as mais recentes discussões, problemáticas e soluções a respeito do processo de ensino-aprendizagem.

O público-alvo são estudantes que concluíram o Ensino Médio, graduados e pós-graduados que tenham interesse nesta área. Após a formação, os profissionais poderão trabalharam em escolas, empresas de grande porte, consultórios, clínicas e hospitais. Entre as principais disciplinas estão “Fundamentos Teóricos do Atendimento Psicopedagógico”; “Neurociência e Cognição”; “Técnicas de Entrevista e Mediação em Psicopedagogia”; “Psicopedagogia Institucional – Empresas e Capacitação Profissional”; “Instrumentos de Avaliação e Processos de Intervenção em Psicopedagogia”; “Psicanálise Aplicada à Psicopedagogia, entre outras.

“Os indivíduos que vivem no mundo atual recebem, diariamente, uma grande quantidade de informações e a tecnologia intensificou ainda mais este processo, sendo assim, os psicopedagogos têm uma grande importância em detectar problemas e apontar soluções no que se refere ao tema ensino-aprendizagem”, afirma Angie Piqué, gestora nacional do curso de Psicologia da Estácio. 

Muitos estudantes poderão perguntar – O que faz um psicopedagogo? 

O psicopedagogo se encarrega de analisar, diagnosticar e facilitar os processos de aprendizagem em diversas fases da vida humana. Este profissional busca – aliando os conhecimentos de Psicologia, Neurologia, Psicolinguística, Sociologia e Educação – conhecer as dificuldades ou distúrbios de aprendizagem humana, a fim de promover ações de correção ou prevenção destes transtornos para facilitar o processo de aprendizagem. 

Uma vez identificadas as possíveis causas que impedem o aprendizado de indivíduos ou grupos, o psicopedagogo planeja e executa a melhor forma de tratamento destes distúrbios, buscando que a intervenção realizada se ajuste à necessidade do paciente e envolvendo pessoas chave como familiares, professores e também outros profissionais, como fonoaudiólogos e psiquiatras. 

Desta maneira, o profissional pode trabalhar em duas grandes áreas: a clínica (onde trabalha com crianças, adolescentes e adultos de forma individual) e a institucional (onde atua com grupos de pessoas em locais como escolas, empresas e hospitais, atuando conforme a necessidade dos envolvidos e do contexto em que se encontram). 

E qual é o perfil de um psicopedagogo? 

Um bom profissional psicopedagogo deve ser ético, por tratar com crianças e/ou pessoas com dificuldades de aprendizagem; comunicativo, para poder se conectar e estabelecer um bom vínculo com as pessoas que ele atende; ter boa capacidade de escuta e observação; ter muito equilíbrio e calma, para saber ponderar os fatores que podem estar dificultando os processos de aprendizagem; boa empatia; com um perfil analítico e reflexivo; de caráter humanista e com forte senso de comprometimento e doação. 

Muitas das vezes, as causas da dificuldade no aprendizado, podem ser as mais variadas, desde problemas de ordem emocional, problemas sociais e econômicos ou problemas cognitivos, mentais ou físicos. Esta complexa situação requer de o psicopedagogo a destreza de poder trabalhar em grupos interdisciplinares, com assertividade e demonstrando capacidade, liderança e segurança.