Please assign a menu to the primary menu location under menu

Saiba como a anemia pode ser um sinal de alerta do corpo e como evitar a carência de nutrientes

Causada pela redução dos glóbulos vermelhos no sangue, a anemia é um sinal de alerta de que algo precisa ser investigado. Existem vários tipos de anemias, mas as mais comuns ocorrrem por carência de nutrientes. Por isso, manter uma boa alimentação é fundamental para evitar e tratar parte delas.

De acordo com a hematologista Amanda Medeiros, médica cooperada da Unimed João Pessoa, a anemia é clinicamente a diminuição do aporte de oxigênio para o organismo e pode ser causada por deficiência de ferro, vitamina B12 e B19 (ácido fólico) ou cobre.

O problema também pode ser hereditário ou adquirido. As anemias aplástica e leucemia são provocadas por doenças que acometem a medula óssea e afetam a produção dos glóbulos vermelhos. Existem também as anemias provocadas por perda aguda de sangue, relacionadas a traumas na maioria das vezes.

Os sintomas, segundo Amanda Medeiros, são mais notados nas anemias de instalação aguda do que nas crônicas, e o diagnóstico é feito pelo conjunto da história clínica do paciente, exame físico e exames laboratoriais. “Habitualmente, há queixas relativas à redução do aporte de oxigênio ao corpo, como são tonturas, perda ou diminuição da força física, dificuldade de respirar aos esforços, indisposição, sonolência e palidez”, explica.

Alimentação – A nutricionista Jéssica Lisboa, da equipe de Promoção da Saúde da Unimed João Pessoa, dá dicas de alimentos para evitar o problema e ter mais qualidade de vida. “A alimentação adequada e equilibrada fornece o aporte diário de nutrientes necessários. Ao ingerir diariamente a recomendação de ferro através de alimentos, dificilmente a pessoa terá deficiência”, destaca.

O ferro pode ser encontrado nas carnes vermelhas, fígado e outras vísceras, mas também em aves e peixes, mariscos crus e ovos. Entre os vegetais, destacam-se como principais fontes os folhosos verde-escuros, como agrião, couve e brócolis, e leguminosas, que são feijões, fava, ervilha, entre outros. “Grãos integrais ou enriquecidos, nozes e castanhas, melado de cana, rapadura, também são ricos em ferro. Outro fator importante é o consumo de vitamina C (laranja, caju, acerola), para ajudar na absorção do mineral”, ressalta Jéssica Lisboa.