Please assign a menu to the primary menu location under menu

Setur promove Feirão com instituições financeiras oferecendo crédito especial para o Turismo

Em um incentivo para retomada das atividades no setor turístico, acontece nesta terça-feira (20) o Feirão de Crédito para o Turismo. O evento faz parte do projeto ‘O Turismo preciso respirar’, coordenado pela Secretaria de Turismo de João Pessoa (Setur), em parceria com instituições financeiras públicas e privadas.

O Feirão, que será realizado no Sesc Cabo Branco das 10h30 às 17h, contará com a participação das principais instituições financeiras, que apresentarão as melhores linhas de crédito, com taxas mais atrativas e/ou prazos de carência ampliados para empresas do segmento.

De acordo com o secretário de Turismo, Daniel Rodrigues, que irá abrir o evento, o Feirão de Crédito chega em um momento importante para as empresas, que começam a fazer a retomada de seus negócios, a exemplo de hotéis, agências de viagens e receptivo.

“A ação é uma das alternativas que a Prefeitura de João Pessoa apresenta ao setor para que possa investir em seus empreendimentos, com a possibilidade de ter garantias e tranquilidade no relacionamento com as instituições financeiras. E antes de solicitar crédito no mercado financeiro, o setor de turismo precisa estar informado sobre as condições que envolvem essa prática. No Feirão, as empresas terão acesso a todo o conhecimento necessário para fazer a decisão mais vantajosa para a saúde da empresa”, ressaltou Daniel Rodrigues.

Os objetivos do Feirão, segundo o secretário, são criar oportunidades de negócios para os atores do Sistema de Turismo por meio de um crédito mais acessível; aproximar as instituições financeiras do setor turístico e hotelaria; e oferecer apoio às empresas a partir de linhas de financiamento mais acessíveis.

Setor econômico – O Turismo foi um dos setores da economia mais penalizado com a pandemia da Covid-19. Pesquisas recentes feitas pelo Sebrae mostraram que 41% dos negócios com até cinco anos de atividade – e que fecharam as portas em 2020 – tiveram a crise sanitária como fator principal para o insucesso.

Os microempreendedores individuais (MEI) e as micro e pequenas empresas correspondem a cerca de 99% do total de empreendimentos formais no país, sendo responsáveis por 30% do Produto Interno Bruto, gerando mais da metade das vagas formais de trabalho.