Entenda como levar o marketplace para sua loja

A pandemia acelerou a digitalização do varejo – e isso todo mundo já sabe. Com as restrições ao varejo físico durante a pandemia e a mudança do consumidor para uma vivência mais digital, algumas estratégias ganharam protagonismo no último ano: um e-commerce bem estruturado, presença direcionada em marketplaces e estratégia omnicanal (integração da operação física e on-line). Passado o primeiro momento, de implementação rápida dessas soluções para se manter relevante e recuperar vendas, é hora de conectar essas três frentes para acompanhar a flexibilização do comércio físico e fidelizar o novo cliente pós-pandemia – e o primeiro momento para atrair esse cliente e se mostrar pronto para a próxima etapa é no Dia dos Pais.

Na data do ano passado, o e-commerce saltou 41% em faturamento e cresceu 32% em pedidos em comparação do Dia dos Pais de 2019. Para 2021, a expectativa é que a alta do on-line continue, mas já combinada com a flexibilização de lojas físicas conforme a vacinação avança no país. Por isso, o conceito de O2O (Online-to-Offline) entra de vez na jogada, principalmente integrado aos marketplaces, plataformas que permitem alcançar um número grande de potenciais clientes. Essa conexão dos canais será determinante para o varejista estar bem-posicionado frente à concorrência e garantir boa performance nesse pico de vendas.

O2O em marketplaces e as lojas físicas

Já sabemos que os marketplaces, por serem basicamente shoppings virtuais, reúnem milhares de vendedores em suas plataformas. Para fazer um recorte apenas do último ano, segundo a ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico), 80% das 150 mil novas lojas virtuais abertas entre março e julho de 2020 optaram por vender em grandes plataformas desse tipo. Além disso, dados da Linx apontam que cada varejista digital brasileiro está posicionado em mais de quatro marketplaces ao mesmo tempo.

Ser O2O nada mais é do que proporcionar uma jornada de compra que começa no digital e termina na loja física com apoio de infraestrutura omnicanal. A presença massiva em marketplaces até então era unicamente baseada na experiência on-line do cliente, com entrega em domicílio. Porém, com a retomada gradual das lojas físicas, é preciso pensar essa presença nas principais vitrines on-line de forma integrada ao mundo físico. Isso significa, por exemplo, permitir que o presente de Dia dos Pais comprado em uma plataforma de marketplace seja retirado na loja física da marca ou em um ponto de retirada próximo ao cliente.

Ao abrir o leque de opções na jornada de consumo, é maior a chance de fidelização e maior as oportunidades de venda. Afinal, o fato de o consumidor conhecer pessoalmente a loja física pode resultar no interesse por outros produtos além daquele já comprado e reforçar a marca e identidade para um potencial cliente. Também é uma chance para demonstrar um atendimento diferenciado e conquistá-lo por meio de uma experiência diferente, oferecida exclusivamente no estabelecimento. Essa conexão entre as plataformas é importante para gerar maior atração, engajamento e retenção de clientes, aproveitando o alto tráfego que o marketplace proporciona.

Para garantir uma experiência excelente para o cliente – que geralmente espera que retirar um item na loja seja mais rápido do que a entrega em casa –, a malha logística precisa ser estratégica. Nesse caso, ao usar a operação física como base de retirada de produtos comprados no marketplace, é importante integrar o estoque dessas lojas com os marketplaces para que as unidades próximas ao cliente sejam “minicentros de distribuição” e, assim, ele possa buscar o produto rapidamente. Como é esperado que o mercado se aqueça no início de agosto com compras para os pais, ter um hub logístico na loja permite que o varejista garanta que a compra do cliente chegará no dia certo, de forma mais rápida e barata para os dois lados.

Integração é a palavra protagonista de vendas nesse próximo Dia dos Pais, a primeira grande data de vendas do varejo no segundo semestre. Para o varejista, esse é o momento de combinar os conhecimentos digitais adquiridos no último ano com a expertise do universo físico tradicional. Unir as vantagens dos marketplaces com a experiência da loja física é o próximo passo de um futuro que começa agora.