Dia dos Pais e finanças: 8 em cada 10 já conversaram sobre educação financeira com os filhos

Celebrado anualmente no segundo domingo de agosto, o Dia dos Pais é mais uma daquelas datas especiais entre os brasileiros. Mas afinal, o que podemos aprender com os pais quando o assunto são finanças? Uma pesquisa realizada pela Acordo Certo,   plataforma  de renegociação de dívidas com foco no bem-estar financeiro do consumidor, ouviu cerca de 300 pais e identificou que 8 em cada 10 já conversaram com os filhos sobre economias e métodos para guardar dinheiro. 

Os dados ainda revelam que a maioria dos pais já conversaram sobre finanças e educação financeira com os filhos, respectivamente sobre assuntos relacionados à economia e como guardar dinheiro (83%), a importância do trabalho para conseguir renda (82%) e a própria situação financeira (79%). 

“Quando pensamos em educação financeira, é comum não lembrarmos de ensinamentos sobre o assunto na escola ou durante a nossa formação até a vida adulta. Essa é uma ferramenta muito importante e a pesquisa revela o cuidado dos pais em passar isso para os filhos. Ao não ceder a todas às suas vontades, ao saber dizer não na hora de uma compra não planejada e, mais do que isso, explicar o motivo pela negativa da compra, o valor do trabalho e renda e todos os conceitos primordiais que são a base da educação financeira”, explica Bruna Allemann, Especialista em Educação Financeira da Acordo Certo.

Outro ponto importante destacado na pesquisa é o rotineiro processo de sair de casa com os filhos e instruí-los sobre a situação financeira. De acordo com a pesquisa, 80% dos pais já avisaram seus filhos antes mesmo de sair de casa que não poderiam comprar nada pois estavam sem dinheiro. Ainda assim, a maioria relata que já deixou de comprar algo que precisava para adquirir algo que o filho pediu (54%) ou comprou produtos de marcas apenas a pedido deles (29%). 

Diante do desafio que são os gastos familiares, as compras de mercado são, sem dúvida, o ponto mais dificultoso para os pais. De acordo com a pesquisa, 43% já levaram o filho ao supermercado e acabaram gastando mais do que o projetado por conta dos pedidos deles. Ainda assim, exceto para compra de alimentos, a maioria dos pais afirmam não comprar ou gastar mais do que o planejado com o filho.