Linguagem
Alessandro Almeida

“Temos um cenário otimista e uma demanda muito aquecida para o mercado imobiliário no Nordeste”

Diretor comercial regional MRV, fala sobre as atividades da empresa e as adaptações para a pandemia

Foto: divulgação
O mercado imobiliário está em constante mudança e para manter-se no topo é preciso estar atento as demandas de mercado. Investir em novos tipos de empreendimentos, gerar renda para o estado e pensar em maneiras de alcançar um público maior são algumas das necessidades enfrentadas pelas empresas do ramo. E para trazer ainda mais desafios a pandemia surgiu como forma de mostrar a potência do segmento e a capacidade do mercado de se reinventar.

Em entrevista para o Paraíba Total, o Responsável pelo planejamento estratégico, gestão de projetos, relacionamento com o mercado, controle financeiro, gestão de pessoas e liderança de grandes equipes, Alessandro Almeida, diretor comercial regional MRV desde 2017, falou sobre o mercado imobiliário, a empresa e suas ações, as novidades e as adaptações para a pandemia. Confira:

Em uma visão geral, como o setor imobiliário tem se comportado nestes últimos seis meses de pandemia? Houve alguma particularidade no Nordeste em relação a procura e tipo de imóvel?

Nesse primeiro semestre deste ano a gente sentiu já uma retomada da economia, com crescimento de vendas e também de faturamento. Aqui no Nordeste, a MRV fecha o primeiro semestre com vendas 10% acima e aumento de 12% no faturamento, na comparação com o mesmo período de 2020.

Eu sinto que o mercado está mais ativo no Nordeste, com várias construtoras colocando produtos no mercado. Esses lançamentos são reflexo das taxas de juros mais baixas e novas fontes de financiamento. E embora o emprego e a renda ainda estejam ainda apertados, o déficit habitacional é alto, o consumidor acaba sendo influenciado pelos cenários de taxas e benefícios mais atrativos que estão sendo oferecidos. Então temos um cenário otimista e uma demanda muito aquecida no Nordeste.

Do lado da indústria, a MRV vem olhando bastante para a diversificação de imóveis. A gente acaba de lançar a linha Class na Paraíba, uma linha que traz muitos benefícios para o nosso cliente, com muitos diferenciais, excelente localização e muita inovação, sendo o principal deles a energia fotovoltaica.

A MRV tem se destacado com ações institucionais inovadoras e se comunicado de forma próxima com os clientes e colaboradores, principalmente também nos últimos meses. De que forma a empresa privilegia o relacionamento com seus públicos?

A MRV tem dado bastante ênfase em relação às questões de ESG - ambiental, social e governança. Tudo isso muito alinhado aos valores de inovação, reforçando nosso posicionamento como uma construtech. Uma empresa que tem uma visão mais atenta às inovações, para que nossos clientes usufruam dos benefícios da digitalização em todas as suas relações.

Dentro dessa visão, temos uma preocupação muito grande com relação aos nossos parceiros e fornecedores. Por isso, todos nossos fornecedores são contratados com base em critérios socioambientais. Temos também uma preocupação enorme em relação à geração de energia renovável.

Com relação ao social, a MRV está envolvida em vários projetos de responsabilidade social e quando a gente olha para o nosso cliente, nossa principal causa são os produtos do programa Casa Verde Amarelo, onde o cliente pode realizar seu sonho de maneira bem adequada, garantindo aos brasileiros o acesso a casa de qualidade, melhorando todo o ecossistema das famílias: saúde, educação, lazer, entres outros.

Em relação à governança, a MRV faz tudo com muita integridade, ética e transparência, dentro do nosso propósito de estarmos construindo sonhos que transformam o mundo.

A MRV fechou 2020 com um crescimento de mais de 45% nas vendas na Paraíba se comparado a 2019. O quanto nosso estado representa para hoje a MRV, como mercado consumidor e investimentos?

O ano passado foi muito desafiador, com o advento da pandemia, que pegou todo mundo de surpresa. Por outro lado, a MRV já vinha desenvolvendo uma tecnologia de atendimento online, por onde nosso cliente pode ter acesso a compra e, se ele quiser, pode fazer todo processo de adquirir seu imóvel de maneira digital, sem precisar ir no terreno. A MRV fornece todos os canais com uma integração muito forte com a nossa força de vendas.

Tudo isso está alinhado aos nossos pilares estratégicos, sempre a favor do cliente, para que ele tenha a melhor experiência na sua jornada de compra.

Uma vez que a gente impacta o lado racional do cliente, com informações e segurança para realizar o negócio, a gente também quer atingir o emocional do cliente, com experiências positivas e garantindo uma relação tech entre o cliente e a MRV.

Quanto a representatividade da Paraíba dentro da MRV, esta é uma operação extremamente importante para a gente, por isso mesmo temos um planejamento bem estruturado aqui no estado. Já temos este ano um fluxo de lançamentos com mais de 1.000 unidades. E, no próximo ano, já temos na nossa esteira de lançamentos mais quatro empreendimentos. Essa é uma praça que a gente trata com muito carinho, trazendo novas linhas de produtos, novas tecnologias e gerando desenvolvimento para o Estado.

O senhor reuniu a imprensa para apresentar um grande projeto, o Reserva Areia Vermelha. Conte-nos um pouco sobre ele e nos diga a expectativa de lançamento e aceitação. E o Reserva Almagre? Como será e qual a expectativa?

Quando a MRV idealizou esses projetos, a gente quis integrar uma nova linha de produtos às belezas naturais da Praia de Ponta de Campina, em Cabedelo.

Então, trazemos com exclusividade a linha Class, com apartamentos de 1 quarto a 2 quartos com suíte e varanda, com uma planta muito bem ajustada, lazer completo, inovações tecnológicas, coworking, energia fotovoltaica, piscina, unidades com vista para o mar.

E a nossa expectativa também é muito grande. Esses empreendimentos vão transformar a nossa marca dentro do mercado da Paraíba. São 864 unidades, que devem gerar um faturamento de mais de R$ 260 milhões, onde parte desses valores serão distribuídos à força de vendas, em forma de comissionamento, com cerca de R$ 11 milhões.

Além disso, a gente fez um investimento na região, na ordem de R$ 3 milhões, em forma de benfeitorias. As obras foram iniciadas no mês de novembro de 2020 e foram realizadas numa via com cerca de 800 metros de extensão. O projeto inclui drenagem e instalação de uma rede de esgotos na via, com ativação da rede de tratamento e posterior pavimentação, levando saneamento básico à região e facilitando o acesso e o tráfego de moradores, motoristas e pedestres que passam pelo local diariamente.

Por fim, a gente fecha este ciclo positivo promovendo mais de mil empregos totais, 400 diretos e 600 indiretos, trabalhando nesses projetos.

Tudo isso ativa a economia e beneficia toda a região de João Pessoa e Cabedelo. E estamos com muito apetite para investir e desenvolver esta região.


A empresa sempre aposta nos feirões para as vendas dos imóveis. O que a pandemia mudou para esses eventos?

Durante toda a pandemia as pessoas ficaram mais reclusas, mas, por outro lado, com muito acesso à informação online. Então, a MRV nesses últimos 16 meses foi extremamente assertiva na utilização dos canais online, principalmente dentro das nossas plataformas. Hoje o cliente consegue se relacionar com a marca de forma muito lúdica, realizar simulações e fazer todo esse fluxo da compra acontecer.

Nós aumentamos bastante a nossa prospecção de clientes online, com muita interação dos consumidores do Nordeste. Para se ter uma ideia, hoje quase 25% das prospecções em todo país são de clientes da região. E dentro do Nordeste, a Paraíba representa cerca de 10% deste volume. E a gente trabalha para crescer ainda mais.

Os canais online são um caminho sem volta. Vamos continuar a promover feirões online, mas, com o aumento da vacinação, acredito que devemos voltar a ter o contato presencial com os clientes e uma conexão maior unindo o online e o presencial. Assim a gente consolida nosso papel omnichannel, impactando nossos clientes e tornando viável o sonho da casa própria.

Algo mais a acrescentar?

O nosso maior desafio é contribuir para diminuir o déficit habitacional no Brasil. Então temos um dever de realizar os sonhos da população da Paraíba com esses novos projetos lançados. Sonhos que queremos atender com essa diversificação de negócios, colocando sempre o cliente no centro das nossas ações, mantendo nossa equipe preparada para atender da melhor forma possível.



Redação Paraíba Total



Outras Entrevistas